Muita fumaça e pouco fogo

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 20/09/2017 às 06:09:00

Quem participou da reunião da Executiva Nacional do PMDB na semana passada, em Brasília, tem hoje a convicção de que uma intervenção do partido em qualquer Estado somente ocorrerá em casos extremos e onde o PMDB não tenha candidato ao governo e ao senado.

A possibilidade de intervenção no Diretório Estadual de Sergipe foi descartada na reunião. Inclusive, o deputado federal Fábio Reis foi instado por membros da Executiva Nacional para assumir o comando do partido em dezembro, quando haverá eleição do novo Diretório Estadual e o atual presidente João Augusto Gama já externou não ter interesse em ir para a reeleição.

Na oportunidade, Fábio não demonstrou interesse em presidir o PMDB em Sergipe. E já dentro do propósito de renovação dos quadros peemedebistas o nome que poderá ser colocado à mesa pela Executiva Estadual é o do vice-governador Belivaldo Chagas.

A coluna apurou que já está fora de cogitação a possibilidade do deputado federal André Moura (PSC-SE) assumir o comando do PMDB em Sergipe, mediante intervenção no Diretório Estadual.

Foi colocado que o que ouve foi o interesse de André em se filiar ao PMDB e pedir a intervenção no Diretório Estadual, após convite de filiação por parte do presidente nacional do partido, senador Romero Jucá.

Mas tudo ficará como estar pelo fato do PMDB de Sergipe ter o governador Jackson Barreto, o vice-governador Belivaldo Chagas e o deputado federal Fábio Reis, além de quatro deputados estaduais, incluindo o presidente da Assembleia Legislativa, Luciano Bispo, e o maior número de prefeitos no estado.

Sem falar no fato de que Jackson vai disputar o Senado em 2018, Belivaldo o governo do Estado e Fábio Reis a reeleição de deputado federal. Fábio, inclusive, tem seguido a linha do partido em Brasília.

Belivaldo, inclusive, já é unanimidade dentro do PMDB para ser o candidato a governador em 2018 e tem a simpatia dos aliados, assim como Jackson Barreto é para concorrer a uma das vagas para o Senado. 

Trocando em miúdos, as coisas no PMDB de Sergipe devem ficar como estão, principalmente, porque o partido não tem prática de intervenção, tem suas particularidades em cada estado e terá candidato a governador e senador nas eleições do ano que vem.

................................................................................................................

 

Foco no PP 1

De Brasília chegou à informação de que depois da impossibilidade de intervenção no Diretório Estadual do PMDB, o deputado federal André Moura (PSC) começa a direcionar suas forças para comandar o PP em Sergipe. No estado o partido é presidido pelo deputado estadual Venâncio Fonseca, ex-líder da oposição na Assembleia Legislativa.

 

Foco no PP 2

Segundo a fonte, André já teria conversado com o presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (PI), e com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, que é do partido, já buscando entendimento para sua filiação e comando da legenda no estado.

 

Ponto de vista

Análise da fonte: “Com isso, fica praticamente decidido que em 2018 André Moura será candidato à reeleição”.  O PP tem em torno de 45 deputados federais no exercício do mandato e sete senadores também no exercício do mandato.

 

Pressão 1

Com o título acima a coluna Esplanada, publicada em vários jornais do país, noticiou ontem a seguinte nota: “Em busca de votos para se livrar da segunda denúncia por obstrução de Justiça e organização criminosa, o presidente Michel Temer está disposto a ceder a uma das principais reivindicações do Centrão – grupo que soma mais de cem parlamentares na Câmara dos Deputados”.

 

Pressão 2

Prossegue a nota: “Insatisfeitos com o ministro Antônio Imbassay (PSDB-BA), os deputados do Centrão querem emplacar o líder do Governo no Congresso, André Moura (PSC-SE), na Secretaria de Governo. Ele é o braço de Eduardo Cunha no Congresso. Outra pasta comandada pelo PSDB (Cidades) também está no tabuleiro de negociação”.

 

Sem maioria 1

 O prefeito Padre Inaldo (PCdoB-Nossa Senhora do Socorro) perdeu maioria na Câmara Municipal de Vereadores. Ontem, por 14 x 6, sofreu mais uma derrota na Casa com a rejeição do projeto de lei propondo a redução da distância de 3 mil metros para 50 metros de um posto de combustível para outro. Na semana passada, os vereadores derrubaram vetos do prefeito a emendas apresentadas por eles.

 

Sem maioria 2

 Desde a volta do recesso parlamentar do meio do ano, que Padre Inaldo perdeu a maioria na Câmara. Já teve, inclusive, em agosto, realização antecipada da Mesa Diretora para o biênio 2019/2020 com vitória da oposição. Maria da Taiçoca (PSD) permanece como presidente e Carlos Cunha (PDT) como vice. Cunha e os demais membros da Mesa eleitos são da oposição.  O atual 1º secretário Cido Capunga (Pros), braço direito do prefeito, estará fora da Mesa na próxima legislatura. 

 

Sem maioria 3

Padre Inaldo ainda perdeu o seu líder na Câmara. Na semana passada Hélio Passos (Rede) entregou a liderança e foi para a oposição. O novo líder do prefeito é Elieu Felipe (PV), que foi secretário do ex-prefeito Fábio Henrique (PDT) e estreou na liderança com uma derrota ontem na Câmara.

 

Sem maioria 4

Quando Padre Inaldo assumiu a Prefeitura de Socorro em 1º de janeiro deste ano tinha quase a unanimidade do apoio dos vereadores. O único vereador da oposição era Vagnerrogeris Lima (PSC), que trabalhou muito nos bastidores para ampliar a bancada de oposição, do qual é líder.

 

Sem maioria 5

Vagnerrogeris, inclusive, rebateu ontem o novo líder do prefeito Elieu Felipe que disse que o prefeito não podia atender “pedidos escusos” e “interesses pessoais”. Ex-aliados, que fazem oposição branca, também rebateram com veemência essas declarações.

 

No baixo São Francisco 1

Nesta quarta-feira, em Propriá, a Comissão Estadual da Verdade "Paulo Barbosa de Araújo" realiza audiência pública visando registrar as violações aos Direitos Humanos ocorridas na região ribeirinha e em todo baixo São Francisco, após o golpe militar de 1964.  Será a partir das 9 horas, no plenário da Câmara Municipal de Vereadores.

 

No baixo São Francisco 2

Na oportunidade serão registrados depoimentos de vítimas, testemunhas e familiares que sofreram perseguições e violências de ordem política e pessoal, devido à atuação em defesa dos direitos individuais e sociais. Segundo a secretária-executiva da Comissão da Verdade, os fatos e depoimentos a serem apresentados serão registrados e farão parte do acervo da Comissão, servindo para subsidiar seu relatório final.

 

Nota do Sintese 1

O Sintese saiu com nota em resposta ao deputado Francisco Gualberto (PT) e seu grupo político, que, inclusive foi publicada pela coluna na edição de ontem. Diz a nota: “É risível a nota do grupo liderado pelo deputado Francisco Gualberto contra o Sintese. Gualberto escolheu seu lado, governista, líder do PMDB golpista e, pasmem, quer que todos os sindicalistas o siga, pois o governo do PMDB é aliado do PT”.

 

Nota do Sintese 2

O Sintese é um sindicato de luta, deputado. Peleguismo passa por longe daqui. Os dirigentes dessa entidade desde sempre aprenderam que os direitos dos trabalhadores estão acima de qualquer governo, de qualquer partido. Essa é nossa essência.

 

Nota do Sintese 3

Sua liderança é cega com faca amolada para os trabalhadores. Vale tudo pra agradar ao grande chefe peemedebista, como valia para agradar o governo Déda. O senhor liderou a quebra da carreira do magistério. O senhor liderou em 2014, já com Jackson, a retirada do terço para os servidores públicos e a retirada de triênio de diversas categorias.

 

Nota do Sintese 4

Francisco Gualberto lidera o caos na saúde, na educação, na segurança. Aliás, haja trocadilhos e histórias de trancoso na Alese pra justificar as ações do pior governo da história de Sergipe. O mais chocante é que o famoso operário da década de 90, que fazia discursos efusivos contra os abusos dos deputados, quis impor a fusão de fundos previdenciários, do dia para noite, sem que os deputados sequer tivessem lido o projeto, sem nada de capitalização. O lado mudou, deputado, e não foi para melhorar a vida do povo.

 

Nota do Sintese 5

Agora em desespero, temendo uma não reeleição, criticado em toda esquina, desandou-se a falar mal do Sintese como todos da direita já o fizeram, acusando-nos de nos preparar para a próxima eleição com candidaturas. Qual o mal nisso, deputado? Os trabalhadores não podem apresentar candidaturas? O senhor foi sempre apoiado por lideranças sindicais dos professores do município de Aracaju e de outras categorias.

 

Nota do Sintese 6

A questão é que o preço do golpe é alto, e as contradições já não se sustentam mais. O seu governo Jackson Barreto acaba de enviar projeto para Alese congelando salários por dois anos dos servidores. O drama é que a partir de amanhã Francisco Gualberto será o mais novo líder do congelamento de salários, e nós estaremos em lados opostos, porque na defesa dos trabalhadores e servidores seremos intransigentes, até o fim.

 

Veja essa...

O deputado federal Fábio Reis se uniu a ala radical do PT, que trabalha contra uma aliança do PMDB com o PT em 2018. Assim como a deputada estadual petista Ana Lúcia é contra a aliança entre os dois partidos o peemedebista Fábio também é contra.

 

CURTAS

 

Ontem, no programa de Gilmar Carvalho, a filha do ex-governador João Alves (DEM) e da senadora Maria do Carmo (DEM), Ana Alves, disse que o então candidato a prefeito de Aracaju em 2016, deputado federal Valadares Filho (PSB), sabia e concordou com o apoio dos seus pais à sua candidatura.

 

Em resposta, Valadares Filho fez ontem a seguinte postagem pelas redes sociais: “Sobre as declarações de Ana Alves, hoje o tempo e os fatos já se encarregaram de mostrar a verdade”.

 

 

Já o deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) postou o seguinte: “O tempo é senhor de tudo. Hoje, Ana Alves esclareceu um dos mistérios do 2º turno. Senadora Maria foi ao Iate a convite da equipe de Valadares”.

 

Do senador Valadares (PSB) voltando a alfinetar o seu desafeto político Belivaldo Chagas, ontem, pelo twitter: “Muito melhor é deixar o traidor de lado. Ele sempre dará uma desculpa. Melhor o silêncio”. Citou ainda o pensador Confúcio: “O silêncio é um amigo que nunca trai".

 

Do advogado José Carlos Felizola em defesa do sogro Belivaldo Chagas, também ontem pelo twitter: “Uma pena que o ex-governador Augusto Franco não está entre nós, porque se estivesse poderia dizer quem foi seu Silvério dos Reis. Um homem que já traiu a todos que te serviram pode falar em traição?”.

-

Boxe

Lula lidera

 

De acordo com pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulgada ontem, o ex-presidente Lula (PT) está na frente em intenções de votos nas eleições de 2018 para primeiro e segundo turno tanto na pesquisa estimulada quanto na espontânea.  Para o primeiro turno, com respostas espontâneas, Lula tem 20,2% das intenções de voto, contra os 16,6% da última pesquisa, em fevereiro de 2017. Na 2ª colocação está o deputado federal Jair Bolsonaro, que subiu de 6,5% para 10,9%. Já João Doria foi citado espontaneamente por 2,4% das pessoas entrevistadas. Na pesquisa anterior, Dória teve 0,3%. Marina Silva teve um registro de queda, despencou de 1,8 para 1,5%.

Lula também aparece como favorito nas pesquisas estimuladas. Nos três embates simulados de primeiro turno, ele varia de 32,4% a 32,7% da preferência. O deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) aparece logo em seguida, em segundo lugar, com variação de 18,4% a 19,8%. Na pesquisa anterior, Marina Silva era a principal opositora de Lula. Nessa nova pesquisa, Marina oscila de 11,4% a 12,1% das intenções de votos e cai para terceira colocação. Nas simulações de segundo turno, o petista lidera nos três cenários em que é c