Polícia prende suspeito de assassinato em Lagarto

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 22/09/2017 às 06:32:00

Policiais civis da Divisão de Homicídios da Delegacia Regional de Lagarto e do Departamento de Inteligência Policial (Dipol) prenderam Paulo Sérgio de Oliveira Santos, 30 anos, suspeito de envolvimento no assassinato de Jonas Modesto, 47, que morreu em 10 de agosto deste ano. O pedido de prisão temporária foi expedido pelo Juízo da Vara Criminal de Lagarto, atendendo à solicitação do delegado Tarcísio Tenório, responsável pelo caso.

De acordo com as investigações, Paulo Sérgio é suspeito de ter desferido diversos golpes de arma branca contra a vítima utilizando uma faca de cozinha.  Após o crime, ele fugiu para a cidade de Itabaiana e posteriormente se encaminhou até a cidade de Areia Branca, onde foi preso. A vítima foi encontrada sem as roupas e apresentava nove lesões por arma branca na região do abdome e do rosto. Ele possuía problemas mentais, morava sozinho e era assistido por uma curadora, além de receber ajuda de amigos de uma igreja evangélica a qual frequentava.

Além de Paulo, já processado por violência doméstica contra a ex-companheira, as investigações apontaram que o crime contou com a participação de um segundo homem identificado como Alber Alves dos Santos, o ‘Ebinho’, 19, que está foragido. Em depoimento à polícia, o acusado atribuiu o crime ao comparsa. “Paulo Sérgio a princípio, muito nervoso, negou o crime, mas no momento da prisão ele já sabia o motivo, até porque ele fugiu. Ao ser questionado, ele atribuiu o crime a Ebinho. Porém ao ser confrontado com os laudos do Instituto de Criminalística, ele apresentou uma série de contradições”, aponta Tarcísio.

O local do crime não tinha nenhum sinal de arrombamento, o que aponta que os criminosos tiveram o acesso permitido pela vítima. “Nós chegamos em Lagarto por volta das 14h e encontramos a residência fechada com cadeado, onde tivemos que arrombá-lo. De modo geral, o local estava preservado, exceto o desalinhamento de alguns CDs e quadros. Foi percebido que tinha uma vítima em um dos quartos, onde foram encontradas algumas lesões e também duas digitas pertencentes a Paulo Sérgio, sendo uma na faca utilizada no crime e a outra em um CDs”, relata o perito designado para o caso, Uilamis Fernando.

Com as digitais encontradas na cena do crime foi possível ter certeza da participação de Paulo Sérgio no crime.