Ato de desagravo contra censura da gestão do TJSE aconteceu nesta terça

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A manifestação foi nas escadarias do Palácio da Justiça. Foto: Divulgação
A manifestação foi nas escadarias do Palácio da Justiça. Foto: Divulgação

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 27/09/2017 às 01:23:00

Na manhã de ontem, funcionários do Poder Judiciário realizaram um ato de desagravo na porta do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe (TJSE). A nota de desagravo foi lida pelos dirigentes do Sindijus Sergipe na escadaria do anexo do Palácio de Justiça, em nome da categoria e em defesa do dirigente sindical Alexandre Rollemberg, que teve sua fala cerceada na Reunião de Análise Estratégica (RAE) do tribunal. O fato aconteceu no dia 15 de setembro, quando numa reunião para debater as metas do órgão, o dirigente mencionou os dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) sobre a média dos gastos com trabalhadores nos tribunais estaduais. Os de Sergipe aparecem entre as piores médias.

 O protesto teve como foco defender o direito de atuação sindical que, de acordo com a direção do Sindijus, foi flagrantemente desrespeitado.

 "O Sindijus, enquanto entidade representativa dos servidores do TJSE vem pautando, no Planejamento Estratégico e nos demais comitês do tribunal, a necessidade de valorização dos servidores. O próprio Planejamento Estratégico do TJSE reconhece que seus servidores tem uma das piores remunerações do país, sendo necessária uma política de valorização.  A atuação do Sindijus na RAE reafirmou essa situação, fato que parece ter incomodado o representante da gestão do Tribunal", afirma Gilvan Santos, coordenador de Relações Institucionais e Comunicação do sindicato.