Jogo de Xadrez

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 28/09/2017 às 06:38:00

Estamos a quase um ano das eleições de 2018 e não existe nada concreto sobre candidaturas majoritárias tanto da oposição quanto da situação em Sergipe. Pelo lado governista, o que existe é a possibilidade e a vontade de aliados de que o vice-governador Belivaldo Chagas (PMDB) venha a ser o candidato a governador e que o governador Jackson Barreto (PMDB) pode disputar uma das duas vagas do Senado.

O PT pleiteia a outra vaga de senador para o presidente estadual da legenda, Rogério Carvalho. E o PRB também pleiteia a vaga para o ex-deputado federal Heleno Silva, que aceitaria de bom grado ser o vice de Belivaldo, cuja vaga é pleiteada pelo PSD, com o nome do deputado estadual Luiz Mitidieri.

Pela oposição, três nomes são cogitados para disputar o governo: os dos senadores Eduardo Amorim (PSDB) e Antônio Carlos Valadares (PSB), e do deputado federal André Moura (PSC). É certo que se André não disputar o governo, vai para a reeleição, e que um dos senadores disputará também a reeleição.

Em conversa com a coluna, o membro da Executiva do PMDB e secretário Benedito Figueiredo (Governo) avaliou a sucessão estadual 2018 como um “Jogo de Xadrez”, com a primeira peça somente sendo movida em 7 de abril do ano que vem quando Jackson decidir se vai ser candidato ao Senado.

Segundo Benedito, JB decidindo pela sua candidatura a senador, como acredita, haverá um novo governo em Sergipe com Belivaldo no comando, mudando ou não o secretariado.

Enfatiza que o governador decidindo sair para o Senado, haverá apenas na chapa majoritária uma vaga de senador e outra de vice-governador. “Só em julho, quando da realização das convenções partidárias, haverá a definição desses nomes”, acredita.

Com certeza, essa definição de Jackson Barreto a ser tomada em abril também vai servir para uma definição da chapa majoritária da oposição.

Até porque existe um entendimento que JB é franco favorito a uma vaga no Senado, mesmo com um certo desgaste com servidores públicos, aposentados e pensionistas, que vem sendo contornado com a fusão dos fundos previdenciários. Além do fato de Belivaldo ser mais competitivo disputando o governo estando no governo e tendo Jackson na sua chapa.

Trocando em miúdos definições de candidaturas majoritárias somente a partir de 7 de abril, como avalia bem Benedito Figueiredo. O resto será só especulações.

.................................................................................................................

Preocupação 1

Revela o secretário Benedito Figueiredo (Governo) que o governador Jackson Barreto (PMDB) já o questionou como seria uma candidatura ao Senado depois de ter prestado declarações de que iria para casa quando concluísse os quatro anos de governo e sugerido que os políticos da sua geração, como o senador Antônio Carlos Valadares (PSB) e João Alves Filho (DEM), também fizessem isso, abrindo espaço para a nova geração.

 

Preocupação 2

Resposta de Benedito: “Disse que tinha uma justificativa para isso. Dizer que estava sendo sincero, mas as coisas no Brasil mudaram. Com a Lava Jato era necessário para o Estado ter um político como ele em Brasília, assim como para o PMDB. E que não podia fugir a esse chamamento, que não depende da vontade dele, mas do partido e dos amigos”.

 

Preocupação 3

Para o peemedebista, a grande maioria das pessoas vai entender essa necessidade de Jackson ser candidato por “ter um amigo e uma pessoa honrada no Senado”. Ressaltou ainda: “Vai mais a necessidade política do que a vaidade de ser senador”.

 

Aposentadoria parlamentar

Desde o último dia 11 de setembro que passam a ter direito a aposentadoria proporcional de deputado estadual os ex-parlamentares Rogério Carvalho, Conceição Vieira, Armando Batalha e Zeca da Silva. As portarias foram publicadas no Diário do Legislativo Estadual, pelo presidente em exercício do Instituto de Previdência do Legislativo do Estado de Sergipe (Iplese).  

 

Critica ao projeto

Do presidente da OAB/SE, Henri Clay, sobre o Projeto de Revogação do aumento do IPTU em Aracaju, do Poder Executivo, aprovado pela Câmara Municipal e sancionado ontem pelo prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB): “Durante a campanha eleitoral presenciamos Edvaldo Nogueira se comprometer a revogar o aumento imposto na gestão passada. No entanto, a nova lei aprovada recentemente não revoga a essência da lei municipal 145/2014, que estabeleceu o exorbitante aumento do IPTU. Ao contrário, mantém a mesma base de cálculo, as mesmas alíquotas e o aumento anual. É uma falácia! Um acinte à boa-fé dos cidadãos".

 

Na defesa do aliado 1

Do deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) em defesa do prefeito Edvaldo Nogueira sobre o projeto de revogação do aumento do IPTU em Aracaju: “Veja a que ponto chega a oposição.  Edvaldo revoga o reajuste dos 30% do IPTU dado por João Alves e mesmo assim eles criticam”.

 

Na defesa do aliado 2

Disse ainda o deputado: “Tem coisas na política interessantes. Político vai para o rádio e se é criticado, foi missa encomendada. Mas se for elogiado, aí é espontâneo. Quem não sabe conviver com a crítica não pode nem ser candidato, quem dirá exercer mandato. Somos por dever de ofício, avaliados diariamente”.

 

Na Alese

Os dirigentes petistas e ex-deputado federal Márcio Macedo e Rogério Carvalho querem que o ex-prefeito Dilson de Agripino (PT) concorra a uma vaga de deputado estadual em 2018. Acham que Tobias Barreto precisa recuperar sua vaga na Assembleia Legislativa.

 

 

Autor do projeto

O deputado federal Fábio Reis (PMDB/SE), vice-líder do partido na Câmara dos Deputados, apresentou ontem um projeto de lei que determina a inclusão de despesas com curso de idiomas dentre aquelas dedutíveis do imposto de renda das pessoas físicas. Atualmente, a lei prevê a dedução de gastos com a educação infantil, ensino fundamental, médio, educação superior e a educação profissional.

 

Sem polemizar

Do prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), nas redes sociais, sobre as declarações do ex-presidente da Emsurb, Mendonça Prado: "Compreendo a reação de Mendonça Prado, uma vez que, de fato, eu não liguei para ele no período em que esteve afastado do cargo de presidente da Emsurb, o que pode ter sido negligência de minha parte em relação à solidariedade que ele merece. Mas quero ratificar a minha confiança nele, que aliás, sempre reafirmei ao longo de todo esse processo. Como disse, entendo as razões de Mendonça e não vou  polemizar sobre o assunto".

 

Veja essa...

Do ex-presidente da Emsurb, Mendonça Prado, ontem no programa de George Magalhães, ao se queixar sobre o tratamento dispensado pelo prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB) quando foi afastado judicialmente do comando do órgão e, sequer, recebeu um telefonema: “Edvaldo é um fraco e precisa aprender a ser homem”;  “Você me tratou como se eu fosse um leproso, um cachorro. O comandante de uma tropa volta para socorrer seus comandados, mas você não. Aprenda a ser homem”;  “Eu não preciso de você, até porque você não chega a sola de meu sapato”.

 

... e essa...

Do deputado federal Valadares Filho (PSB) sobre as declarações de Mendonça Prado: “As últimas declarações de ex-aliados de Edvaldo Nogueira reafirmam a sua personalidade frágil, dúbia e aproveitadora. Nossa cidade não merecia um prefeito que tenta a todo tempo enganar os aracajuanos. Mais recentemente com o engodo na revogação do aumento abusivo do IPTU. Como disse o ex-aliado, Edvaldo tem que se preocupar com as investigações do MPF”.

 

 

 

CURTAS

 

O senador Eduardo Amorim (PSDB) comemorou ontem  a aprovação, na  CCJ do Senado, de relatório de sua autoria à PEC que impede extinção dos Tribunais de Contas.

 

Eduardo também festejou a 38ª posição da Universidade Federal de Sergipe (UFS) no Ranking Universitário Folha, após avaliação anual do ensino superior do Brasil feita pela Folha de São Paulo desde 2012, visando medir a qualidade das Universidades brasileiras em suas diferentes missões.

 

“A doação de órgãos é um ato de caridade e amor ao próximo. Milhares de vidas, a cada ano, podem ser salvas por este gesto”. Foi o que afirmou ontem o deputado Adelson Barreto (PR) em discurso ontem na tribuna da Câmara Federal, visando promover uma discussão sobre o assunto e conscientizar a população para a realidade daqueles que aguardam por transplante.

 

O governador Jackson Barreto e o prefeito Edvaldo Nogueira almoçam juntos hoje. Deve constar no cardápio, também, as queixas e mágoas de Mendonça Prado.

 

Ontem, na Fan de Carmópolis, o presidente da Cohidro, José Carlos Felizola, respondeu questionamentos e recebeu elogios de ouvintes. Durante entrevista, Felizola reforçou o compromisso de Jackson Barreto e Belivaldo Chagas com a irrigação e agricultura do estado e detalhou investimentos da Cohidro na limpeza de barragens e perfuração de poços.

 

 

 

 

 

Foto legenda- Albano e Temer

 

O ex-governador Albano Franco (PSDB) esteve com o presidente Michel Temer, na tarde da última terça-feira, no Palácio do Planalto, tratando da implantação de campus da Universidade do Vale do São Francisco (UNIVASF) em Propriá. Já na manhã de ontem, Albano, acompanhado do Yakonaan Santana e do economista Marcos Melo, foram recebidos pelo secretário Paulo Barone, de Educação Superior do Ministério da Educação.

Entusiasmado com a possibilidade de o Governo Federal atender a reivindicação de Propriá,  Albano lembra que Sergipe é um dos poucos Estados banhados pelo Rio São Francisco que não possui campus da UNIVASF, o que pode ser conseguido agora, graças aos esforços das lideranças políticas locais e da sensibilidade do presidente Michel Temer e do ministro Mendonça Filho.

O tucano aproveitou a audiência com Temer para registrar a satisfação com o volume de recursos que estão sendo liberados para Sergipe pelo Governo Federal. Disse que o presidente elogiou o esforço do deputado André Moura, que enfatizou ter sido incansável portador das reivindicações de Sergipe junto aos órgãos governamentais em Brasília