Mulher nega que tenha tentado vender a própria filha

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 29/09/2017 às 06:18:00

Amarilis Santos Nogueira, 29 anos, que foi detida na sexta-feira passada sob acusação de tentar vender a própria filha recém nascida, na Barra dos Coqueiros (Grande Aracaju), prestou depoimento ontem na 11ª Delegacia Metropolitana (11ª DM) e negou todas as acusações. Ela compareceu à unidade acompanhada por um advogado e falou sobre a denúncia que, segundo ela, havia sido feita pela própria mãe a policiais militares do Grupo de Ações Táticas do Interior (Gati), que atenderam a ocorrência.

A avó da menina, que está com a guarda provisória dela e de outros quatro netos, também prestou depoimento. O inquérito policial que apura o caso foi instaurado no começo da semana para apurar a denúncia em si e se houve algum descumprimento da ordem judicial que determinava a entrega da guarda do bebê. Ao liberar a jovem na audiência de custódia, o juiz plantonista Roberto Flávio Conrado de Almeida entendeu que não havia provas concretas sobre tal denúncia.

À saída da delegacia, em entrevista à TV Sergipe, Amarilis afirmou que não ofereceu a filha a ninguém e que nem conhecia o casal encontrado na casa onde estava quando foi detida. “Minha mãe falou que eu estava com um casal negociando a criança. O casal que estava lá era visita dos donos da casa. [Isso] não tem nada a ver e eles não tem nada a ver [com a história]. Não existe nenhum negócio de criança. Eu jamais iria vender os meus filhos. Jamais! Eu sou mãe, já tive outros quatro filhos e nunca os vendi. Eu ia vender agora? Eu sou uma boa mãe, nunca maltratei os meus filhos”, frisou ela.

A mãe da criança também frisou que não é usuária de crack ou de outras drogas, contestando o que chegou a ser informado pela Polícia Militar. E garantiu que recorreu à Justiça para recuperar a guarda das crianças. O advogado de Amarilis, Alfredo Cunha, acusou a avó materna de inventar a acusação contra a filha para ficar com o dinheiro da pensão alimentícia das crianças, não havendo, segundo ele, nenhuma preocupação da parte dela com os netos. Outras pessoas envolvidas no episódio já prestaram depoimento ao delegado Valter Simas Sarmento, que deve concluir o inquérito nos próximos dias e entregá-lo à Comarca da Barra dos Coqueiros, cujo juízo ainda não decidiu sobre a guarda definitiva das crianças. (Gabriel Damásio)