Ana Lúcia critica corte de 98% na política nacional de Assistência Social

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 30/09/2017 às 00:41:00

No Dia D de mobilização em defesa do Sistema Único de Assistência Social, a deputada estadual Ana Lúcia denunciou o corte de 98% do orçamento voltado para a política de Assistência Social e de 11% do Bolsa Família, por parte do governo golpista de Michel Temer. Em seu pronunciamento, a parlamentar prestou sua solidariedade aos trabalhadores e usuários do SUAS e informou que irá apresentar uma moção para o Governo Federal pedindo a imediata suspensão do corte de recursos.

O pronunciamento da deputada na tribuna foi acompanhado e aplaudido por militantes sociais, usuários, gestores e trabalhadores da política de Assistência Social de todo o Estado, que vieram à capital para participar do ato. A manifestação aconteceu simultaneamente em todo o Brasil e a escolha da data se seu a partir da data limite de apreciação do orçamento público, dia 30 deste mês.

Ana Lúcia recebeu e citou dois importantes documentos: a carta do Fórum Nacional de Defesa do SUAS, entregue pela presidente do Conselho Regional de Serviço Social (CRESS Sergipe), e a carta aberta do Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas), das mãos do secretário adjunto de Assistência Social de Aracaju, Valdiosmar Vieira Santos.

 “O SUAS é o maior sistema do mundo de programas sociais e está sendo ameaçado. Foi instituído enquanto política pública em 2004 pelo então governo Lula, e esta sendo desmontado por meio do corte de orçamento por este governo golpista”, destacou, informando que o sistema abrange mais de 30 milhões de famílias referenciadas nos mais de 8 mil Centros de Referência de Assistência Social e Centros Especializados de Assistência Social.

 “Somos o país com maior concentração de riqueza do mundo e, portanto um país com diferenças sociais gritantes, que reproduz os preconceitos sociais, onde se acha natural que o pobre seja pobre, que a escola de pobre seja pobre e que o sistema de saúde de pobre, seja pobre também”, lamentou a deputada, ao passo que chamou a atenção para a necessidade de que a resistência não seja restrita aos trabalhadores do SUAS, mas de toda a classe trabalhadora e da classe política.

Após prestar seu apoio ao movimento, Ana Lúcia informou que irá promover uma audiência pública no início mês de outubro sobre o desfinanciamento do SUAS, por meio da Frente Parlamentar dos Direitos da Criança e do Adolescente, coordenada por ela.