Lojas se preparam para o Dia das Crianças

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 01/10/2017 às 06:58:00

Milton Alves Júnior

 

Em tempos de instabilidade financeira entre as famílias brasileiras, setores do comércio sergipano apostam nas tradições como forma de vencer o período de vendas mornas. Na contagem regressiva para o Dia das Crianças, estabelecimentos revendedores de presentes, calçados e vestuário acreditam em um progresso de até 10% se comparado com as vendas do ano passado. Esse número reflete-se na aposta de redes de supermercados; no setor lojista instalado no centro de Aracaju, a meta é alcançar a casa dos 6%. Dados nada agradáveis se comparado ao boom econômico contabilizado nos anos de 2010 e 2011, porém, bastante evolutivos se comparados aos anos de 2014, 2015 e 2016 - período de rigorosa baixa nas vendas.

Na tentativa de seguir o avanço gradativo registrado ao longo das últimas datas comemorativas deste ano, lojistas apostam na abrangência de produtos que podem encantar o público alvo, e, pensando no bolso dos pais, ofertando atraentes condições de pagamentos. Paralelo às facilidades em dividir a compra em até dez vezes - a depender do valor, muitas lojas estão propondo congelar os preços de à vista, mesmo para aqueles que desejam realizar às compras no cartão de crédito em até três vezes. Estudos nacionais mostram que a forma de pagamento preferida pelos consumidores para o Dia das Crianças continua sendo a modalidade à vista com dinheiro (51,3%).

Já o uso do cartão de crédito é a escolha para 35,9% dos entrevistados; e 15% devem usar cartão de débito. Quanto aos produtos mais procurados, além dos tradicionais brinquedos, outros artigos infantis como: roupas, produtos eletrônicos, viagens e demais atividades em família estão nos planos dos pais para este ano. Produtos eletrônicos também estão na mira da criançada. Crente no aquecimento das vendas, a Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) estuda a possibilidade de ampliar o horário comercial nas vésperas do dia 12. Para o gerente lojista, Márcio Sena, quanto mais cedo os pais buscarem a aquisição dos presentes, melhor será.

"Digo isso porque os presentes sofreram um reajuste de aproximadamente 2,2% na inflação, e aqueles que são muito bons e com preço acessível serão logo vendidos. Além disso, muitos pais gostam de pesquisar os preços e produtos com os filhos, caso deixe para a última hora o centro certamente estará cheio de consumidores e a pesquisa certamente não será realizada como todos desejam. Antecipar as compras é a melhor saída", orientou. Sobre o alerta apresentado pelo comerciante, vale ressaltar que, por ser feriado nacional - em alusão ao Dia de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, as agências bancárias, correios, casas lotéricas e unidades escolares estarão sem funcionar durante todo o dia.

 

Supermercados - Disposto a protagonizar no cenário varejista nesta data comemorativa, o grupo Cencosud Brasil, informou que, além de apresentar preços que cabem nos bolsos dos consumidores, ainda estarão investindo em atrações paralelas, uma espécie de hipnose. É que as lojas da rede estarão distribuindo pipoca, algodão doce, além de movimentar as unidades com animação de personagens infantis. Se mostrando esperançosa, a gerente Cassiana Ferrigno garantiu que será difícil adentrar na loja e não gostar de algum dos produtos oferecidos.

"Estamos com opções para todos os bolsos, como bonecas de R$ 9,90 a R$ 219,00, carrinhos de bate e volta de R$ 9,90, entre outras opções com valores até R$199,00", declarou. O balanço geral das vendas no comércio sergipano está previsto para ser divulgado na semana seguinte ao Dia das Crianças.