Após 30 dias, escolas municipais voltam às aulas

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 03/10/2017 às 06:15:00

Nesta segunda-feira, as escolas da rede municipal da Educação que estavam com as atividades suspensas, total ou parcialmente, voltaram as aulas. Na última sexta-feira, 29, os professores que haviam aderido à greve decidiram, em assembleia, pelo retorno das atividades de docência. A greve durou 29 dias e 6 escolas estavam com as atividades suspensas totalmente, enquanto outras 49 estava funcionando parcialmente, e 16 unidades de ensino não tiveram as suas rotinas alteradas.

A secretária da Educação de Aracaju, Maria Cecília Leite, parabenizou a categoria pela decisão e afirma que a administração municipal continuará investindo na valorização do corpo docente do município e se esforçando para atender as reivindicações da classe. A secretária lembra também como a atual administração, apesar das dificuldades financeiras, vem trabalhando pelo desenvolvimento e restabelecimento da qualidade do ensino em Aracaju. "O trabalho é árduo para que nossa Educação funcione com dignidade, mas precisamos contar com os nossos professores. Fico muito feliz que a categoria tenha tomado a decisão de encerrar a greve", destacou a secretária.

Era com ansiedade que alunos, pais, professores e equipes diretivas, que não aderiram a greve, esperavam por esse momento. É o que relata Maria Ilma, mãe de Ivanclei Santos, que estuda no 6° ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Laonte Gama. "A greve me prejudicou demais, meu filho é adolescente e eu já tenho dificuldade que ele se empenhe na escola. A greve quebra o ritmo de estudos dele e bagunça a minha vida, porque se ele não está na escola eu tenho que olhar onde está, o que ele está fazendo. Hoje quando eu soube que as aulas voltaram eu fiquei muito feliz e ele também", afirma a dona de casa.

A diretora da Emef Alencar Cardoso, Tânia Cristina dos Santos, também explicou que a expectativa foi grande por esse momento de volta às aulas "Nossa escola não aderiu à greve porque a secretária Maria Cecília Leite fez uma reunião com todos os diretores de escolas apresentou as contas da Prefeitura, e quando eu voltei para a escola chamei meus professores e expliquei exatamente tudo que ouvi, então a equipe docente da nossa escola resolveu não aderir. Mas o dia hoje é de felicidade porque os alunos das outras unidades de ensino não serão mais prejudicados pela greve", opinou a diretora.

 

Reorganização do calendário - A Secretaria Municipal da Educação em breve fará a divulgação de um novo calendário letivo para as escolas que tiveram as suas atividades paralisadas. Durante a semana, a secretária Cecília Leite vai se reunir com as equipes diretivas das escolas para definir quando será o encerramento do ano letivo 2017, de modo que não prejudique os alunos que estavam com as atividades escolares paralisadas e para eles alcancem resultados satisfatórios na aprendizagem.