TCE define criação de grupo de trabalho para solucionar déficit da Previdência

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Foto: Cleverton Ribeiro/TCE
Foto: Cleverton Ribeiro/TCE

Grupo vai discutir saídas para a previdência estadual. Foto: Cleverton Ribeiro/TCE
Grupo vai discutir saídas para a previdência estadual. Foto: Cleverton Ribeiro/TCE

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 04/10/2017 às 00:09:00

Em reunião envolvendo representantes das diversas categorias de servidores públicos do Estado, foi definida no Tribunal de Contas do Estado (TCE), nesta terça-feira, a criação de um grupo de trabalho para analisar e apresentar propostas acerca da situação da Previdência em Sergipe.

O encontro teve as participações do conselheiro-presidente Clóvis Barbosa de Melo e da conselheira Susana Azevedo, vice-presidente do Tribunal e responsável pela área de controle e inspeção da qual faz parte o Sergipeprevidência. Também contribuiu com o debate o procurador-geral do Ministério Público de Contas, João Augusto Bandeira de Mello.

A ideia é que o grupo seja composto por técnicos com amplo conhecimento sobre o tema, sendo os integrantes indicados pelos sindicatos e por órgãos como o próprio TCE, Tribunal de Justiça, Ministério Público Estado (MPE), Assembleia Legislativa, Caixa Econômica, entre outros.

"Vamos fazer esse convite aos poderes para que indiquem técnicos qualificados para compor o grupo de trabalho que irá contribuir na busca por uma solução para este grave problema do nosso Estado", comentou o conselheiro-presidente Clóvis Barbosa.

Da mesma forma avaliou a conselheira Susana Azevedo, que já vinha estimulando o debate por meio de audiências públicas e demonstrou preocupação com a falta de medidas que se mostrem capazes de contornar a crise na Previdência. "O que temos visto é uma perspectiva de déficit que só aumenta; então, o que queremos é reunir propostas que possibilitem o financiamento e a capitalização do Fundo de Previdência", acrescentou a conselheira.

Para o procurador-geral Bandeira de Mello, o déficit na Previdência consiste num dos maiores problemas a serem enfrentados pela sociedade sergipana. "É fundamental essa modelação de um evento onde se possa efetivamente discutir uma proposta de capitalização, a sustentabilidade da situação previdenciária em nosso estado", colocou.

Entre os presentes na reunião estavam dirigentes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), do Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Públicos do Estado de Sergipe (Sintrase), do Sindicontas e do Sindijus.

 

Fusão dos fundos - Ainda ao passarem pelo TCE, os sindicalistas protocolaram uma solicitação à conselheira Susana Azevedo para que seja feita uma tomada de contas especial acerca da destinação dos recursos do Fundo Previdenciário do Estado de Sergipe (Funprev), após sua fusão com o Fundo Financeiro Previdenciário de Sergipe (Finanprev).

 “Diante dos comentários recentes feitos pelo secretário da Fazenda [Josué Modesto dos Passos Subrinho] na imprensa local e na Alese, onde informou que os recursos do Fundo já se esgotaram, fizemos um requerimento junto ao gabinete da conselheira Susana Azevedo para que analisem o que realmente aconteceu já que haja vista o tempo curto de consumo”, concluiu o vice-presidente da CUT/SE, Plínio Pugliesi.