Desempregados da barra querem vagas em obra

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 05/10/2017 às 05:59:00

Milton Alves Júnior

 

Centenas de trabalhadores desempregados se reuniram na manhã de ontem em frente à Usina Termoelétrica Porto de Sergipe, localizada na Barra dos Coqueiros, com o propósito de pressionar as empresas que foram contratadas para erguer a futura maior unidade captadora de energia eólica da América Latina. De acordo com o grupo SOS Emprego, responsável por organizar o movimento, as empresas estão realizando sucessivas contratações de profissionais oriundos de estados vizinhos, como a Bahia, Alagoas e Pernambuco, e deixando de convocar os sergipanos. A cobrança, é que ao menos 80% do quadro funcional seja formado por trabalhadores nativos.

Para o militante social Wanderson dos Santos, é preciso que o Governo do Estado de Sergipe, bem como os prefeitos, exijam que as empresas realizem contratos em grande escala com os cidadãos sergipanos. A proposta é conceder a oportunidade de emprego para os profissionais que residem no Estado e seguem sem conseguir trabalho fixo. "O SOS Emprego está mais uma vez de parabéns por defender as classes menos favorecidas. Só assim será possível forçar os empresários a respeitarem a população em que as obras estão sendo realizadas. Sabemos que os contratados não têm culpa; a responsabilidade é praticamente toda dos contratantes", declarou.

Por meio de nota a CELSE - Centrais Elétricas de Sergipe, responsável pelo Complexo Termoelétrico Porto de Sergipe I, informou que prioriza, desde o início das obras, a contração de mão de obra local e cumpre seu papel de Responsabilidade Social com os colaboradores que prestam serviço no empreendimento, garantindo boas condições de trabalho e emprego. Informa que atualmente tem um efetivo trabalhando no empreendimento com 936 colaboradores e cerca de 60% são funcionários oriundos do estado de Sergipe, o que contribui para elevar os índices de geração de emprego, principalmente na área de influência do projeto.

Ressaltando ainda que esse empreendimento exige que serviços especializados sejam contratados para execução de atividades específicas. A empresa e seus parceiros sempre se mantiveram abertos para receber as reivindicações dos diversos atores da sociedade civil, bem como de órgãos governamentais e sindicatos. Todo o processo de recrutamento e seleção é feito de forma transparente, seguindo regras de “Compliance”. Por fim, a CELSE reforçou que o compromisso da empresa resulta no desejo de promover desenvolvimento econômico do Estado de Sergipe, e informa que até o final do ano serão criados novos postos de trabalho de acordo com a necessidade do empreendimento.