Logística do Brasil para o jogo em La Paz

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 05/10/2017 às 06:21:00

A seleção brasileira aprendeu na prática e com derrotas doloridas como se deve fazer para se chegar em La Paz e enfrentar a Bolívia. Até a comissão técnica de Tite elaborar a logística para o jogo desta quinta-feira, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018, muitos jogadores tiveram de passar mal ou apostar em canja de galinha e sorvete como soluções para minimizar os efeitos da altitude de 3,6 mil metros acima do nível do mar.

A agenda mais comum das equipes hoje em dia é desembarcar em La Paz cerca de duas horas antes do começo do jogo, pois, segundo os fisiologistas, os efeitos da altitude só começam a aparecer seis horas depois da chegada à cidade.

A última vitória brasileira em La Paz foi em 1997, na final da Copa América. Mesmo o autor do último gol dos 3 a 1 na decisão, o meia Zé Roberto, diz não ter boas lembranças da Bolívia. "Em 2001 eu perdi a minha vaga na Copa do ano seguinte em um jogo lá. O time foi mal, perdemos por 3 a 1 e depois daquilo nunca mais fui chamado pelo Felipão", afirmou o jogador do Palmeiras.