Suspeito de balear policial morre em confronto

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Armas apreendidas com ‘Tchan’ e ‘Makisô’, mortos no tiroteio com agentes do Cope. Foto: Divulgação/SSP
Armas apreendidas com ‘Tchan’ e ‘Makisô’, mortos no tiroteio com agentes do Cope. Foto: Divulgação/SSP

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 07/10/2017 às 06:50:00

Um tiroteio ocorrido ontem de manhã no bairro Santa Maria (zona sul de Aracaju) terminou com a morte de dois homens investigados pela Polícia Civil. Segundo informações da Secretaria da Segurança Pública (SSP), um deles é André da Silva Ferreira, o ‘Tchan’, principal suspeito da tentativa de assalto contra o agente de polícia Carlos de Souza Leite, ocorrida em 15 de maio deste ano. Na ocasião, ele foi ferido com dois tiros em frente à sua residência, no 18 do Forte (zona norte), após impedir o roubo de seu telefone celular. A vítima teve apenas ferimentos leves.

Equipes do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope) e da Divisão de Inteligência Policial (Dipol) apuraram denúncias anônimas que indicavam a localização de ‘Tchan’, em um loteamento. Os policiais chegaram ao local indicado e encontraram o suspeito ao lado de Joseilson Alves Santos, o ‘Makisô’. Segundo o relato, os dois estavam armados e separavam trouxas de maconha, quando reagiram a chegada da polícia. No confronto que se seguiu, os dois foram baleados e morreram enquanto eram encaminhados ao Hospital de Urgência de Sergipe (Huse).

Ainda segundo a polícia, André estava armado com um revólver calibre 32 e Joseilson tinha consigo uma pistola ponto-40 que pertencia a um policial militar. As armas foram apreendidas, juntamente com cerca de 20 trouxinhas de maconha. Além de ser investigado pelo ataque ao agente lotado na Delegacia de Frei Paulo (Agreste), ‘Tchan’ era acusado por outros assaltos, inclusive contra um ônibus de uma linha interestadual. A atuação dos dois suspeitos continua sendo investigada pelo Cope.

 

Presa – Também na manhã de ontem, policiais do Departamento de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP) cumpriram um mandado de prisão preventiva expedido contra Glasciene Iara dos Santos Menezes, 32 anos, acusada por um incêndio criminoso ocorrido em 13 de março de 2007 no conjunto Padre Pedro, bairro Santa Maria (zona sul). O mandado foi expedido pelo juízo da 5ª Vara Criminal de Aracaju.

Iara foi detida no loteamento Guajará, em Nossa Senhora do Socorro (Grande Aracaju), onde foi localizada após investigação de agentes do Departamento. Segundo a polícia, ela teria colocado fogo na residência de uma mulher identificada como Edirane Cardoso, que não resistiu aos ferimentos e morreu. As investigações da época concluíram que o motivo do crime seria a descoberta que Edirane possuía um relacionamento com o então companheiro de Glasciene.