Hospitais adiam plano de suspender atendimento

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 10/10/2017 às 06:16:00

Milton Alves Júnior

 

Os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) podem ficar tranquilos que o atendimento nos hospitais de Cirurgia, São José e Maternidade Santa Isabel não serão suspensos - pelo menos neste momento, conforme prometido pelas direções administrativas. A decisão foi adotada na manhã de ontem após audiência pública realizada na sede do Ministério Público Estadual (MPE) entre o promotor de justiça Fábio Viegas, da Promotoria de Direitos à Saúde, e representantes das instituições filantrópicas. Por decisão do MPE, a Prefeitura de Aracaju tem prazo de 15 dias para estabelecer um cronograma para quitar os débitos apresentados.

De acordo com a comissão empresarial, a inadimplência pública é o principal motivo para a redução no número de atendimentos e demais problemas operacionais registrados diariamente. Sem o repasse das dívidas que juntas ultrapassam a casa dos seis milhões de reais, a perspectiva dos hospitais é suspender os serviços destinados ao sus, e manter apenas as assistências destinadas a pacientes particulares; essa escala de atendimento representa menos de 20%. Conforme contabilidade dos gestores,  em caso de suspensão dos serviços, mais de 5.000 mil sergipanos serão diretamente prejudicados.

Apesar das dificuldades financeiras alegadas pela Prefeitura de Aracaju e pelo Governo do Estado, o promotor lamenta afirmou que chega a ser: "inconcebível que, mesmo reconhecendo os débitos, não seja dado qualquer tipo de previsão de pelo menos uma competência de pagamento, vez que a problemática apresentada é urgente, merecendo a prioridade dos gestores. É preciso se estudar formas de quitar as pendências e minimizar a baixa estrutura ofertada aos pacientes que buscam assistência em alguma das três unidades". A audiência contou com representantes dos poderes executivos, os quais se comprometeram a atender as exigências do MPE.

Para dar seguimento aos diálogos em torno da problemática econômica, o promotor Fábio Viegas agendou para a próxima segunda-feira, dia 16, uma nova audiência entre as partes presentes no processo. A perspectiva é que todos os impasses sejam resolvidos em caráter integram, em curto prazo, e sem gerar nenhuma nova interrupção nos serviços destinados aos usuários do SUS. A audiência ocorre novamente nas dependências da Promotoria de Direitos à Saúde, sede do Ministério Público, na zona Norte de Aracaju.