Seleção de GR na disputa o Pan-Americano

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A Seleção Brasileira de GR, que tem como base de treinamento a capital sergipana, está nos EUA para disputa do Pan-Americano de Daytona Beach. Foto: Ricardo Bufolin
A Seleção Brasileira de GR, que tem como base de treinamento a capital sergipana, está nos EUA para disputa do Pan-Americano de Daytona Beach. Foto: Ricardo Bufolin

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 14/10/2017 às 06:04:00

O Pan-Americano de Daytona Beach, nos Estados Unidos, é o próximo compromisso das Seleções Brasileiras de Ginástica Rítmica Individual e de Conjunto das categorias Adulta e Juvenil. Já em solo norte-americano, atletas e comissão técnica, principalmente da classe principal, deram sequência nesta sexta-feira,13 a uma extensa agenda de competições, que para a maioria delas contou com a etapa da Copa do Mundo de Kazan, na Rússia, o Mundial de Pesaro, na Itália, o Campeonato Brasileiro, em Vitória (ES), e o Sul-Americano, em Cochabamba, na Bolívia.

O adulto individual contará com Karine Walter, Natália Gaudio, Mariany Miyamoto e Bárbara Domingos. Um grupo que une a experiência de Natália, representante brasileira nos Jogos Olímpicos do Rio, e a juventude e o talento das demais. As atletas serão acompanhadas pelas treinadoras Monika Queiroz, Gracieli Morais, Márcia Naves e Vanessa Hagemann.

A Seleção de Conjunto, que treina em Aracaju conta com Alanis Ávila, Francielly Pereira, Gabrielle Silva, Heloísa Bornal, Jéssica Maier e Marine Vieira, terá a oportunidade de competir novamente com as séries de cinco arcos e três bolas e duas cordas, coreografias que foram muito bem avaliadas nos eventos anteriores. A equipe estará acompanhada pela treinadora Camila Ferezin e a assistente Bruna Rosa.

 - Nossas expectativas são muito boas. Estamos indo na categoria adulta com um grupo muito forte, tanto no conjunto quanto no individual. Vamos brigar para conquistar medalhas em todas as disputas. Esse campeonato é uma prioridade para o Brasil, e, quando se trabalha com alto rendimento, não podemos pensar em cansaço e sim nas metas que temos que atingir. Trabalhamos duro nos últimos meses e estamos prontas e focadas para darmos o nosso melhor e continuarmos sendo referência na América", comentou Camila Ferezin.