Mulher esfaqueada em Carmópolis morre no Huse

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 15/10/2017 às 06:48:00

A mulher que foi esfaqueada pelo próprio marido no povoado Aguada, em Carmópolis (Vale do Cotinguiba), ao início da tarde desta sexta-feira, morreu horas depois no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), em Aracaju. A informação foi confirmada neste sábado pelo Instituto Médico-Legal (IML). Carmem Lúcia dos Santos, 49 anos, chegou a ser socorrida logo após o ataque, mas não resistiu ao ferimento causado no lado esquerdo do peito, junto ao coração. O corpo da vítima foi liberado aos familiares na madrugada do sábado.

Testemunhas afirmaram à Polícia Militar que, na tarde do crime, Carmem estava no bar de uma amiga no próprio povoado e, ao retornar para casa, foi surpreendida pelo companheiro, que a agrediu e a atacou com a faca. Ferida, a vítima chegou a correr para uma casa da vizinhança, mas perdeu as forças e caiu na sala da residência, onde ficou até a chegada de uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Levada ao Huse, a vítima morreu durante o atendimento.

O autor do crime chegou a fugir do povoado, mas foi preso à noite por populares que o encontraram e chamaram uma equipe do 9º Batalhão de Polícia Militar (9º BPM). O acusado, que não teve sua identificação confirmada, foi levado para a Delegacia Regional de Propriá e autuado em flagrante por feminicídio (homicídio praticado por menosprezo à condição feminina).

 

Morto na estrada – Um segundo crime chamou a atenção da polícia no fim da tarde desta sexta-feira. O técnico em eletrônica Valdson Santana Torres, 43, funcionário de uma empresa de assistência técnica para aparelhos de TV, foi assassinado na Rodovia da Indústria, altura do Distrito Industrial de Nossa Senhora do Socorro (Grande Aracaju). Segundo a família, ele voltava da casa de um cliente, onde fez uma entrega, e foi rendido por dois assaltantes no meio do caminho. Os criminosos pararam o carro e ordenaram que Valdson entregasse o dinheiro e o telefone celular.

Parentes confirmam que o técnico não chegou a reagir à abordagem e nem mesmo destravou o cinto de segurança, mas um dos criminosos deu um tiro na nuca de Valdson, matando-o na hora. Em seguida, os dois fugiram. O carro dirigido pela vítima, um Fiat Fiorino pertencente à empresa, foi deixado no local com a porta aberta. O corpo do motorista foi velado e sepultado na manhã do sábado, no Cemitério São João Batista, sob clima de muita revolta da família. O técnico era casado, pai de três filhos e padrasto de três enteados.

-