Sargento reformado é morto a tiros e acusado da prática de agiotagem

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 24/10/2017 às 06:04:00

Gabriel Damásio

 

O policial militar reformado João Luiz Santos Nogueira, 52 anos, foi assassinado por volta das 16h de ontem na Rua Quirino, bairro Inácio Barbosa (zona sul de Aracaju). Ele morreu dentro do próprio carro, um Fiat Pálio branco, e levou quatro tiros no peito e na barriga. Segundo a Polícia Militar, o crime teria sido cometido por João Soares Santos, que foi preso em flagrante perto do local com um revólver calibre 32. Ele confessou a autoria do crime, alegando ter sido ameaçado durante a cobrança de uma dívida.

A PM foi acionada por moradores de condomínios da região, conhecida como ‘Buraco de Lourdes’ e situada atrás da loja Ferreira Costa. Eles denunciaram ter ouvido tiros vindos de um pálio que estava parado na rua. Uma equipe da Companhia de Polícia de Trânsito (CPTran) estava próxima ao local indicado. Os policiais avistaram João Soares sendo perseguido por um sargento da PM que mora na região e estava de folga.

Ao ser alcançado e detido, o acusado alegou que João Luiz seria um agiota e estava lhe fazendo ameaças para cobrar o pagamento de um empréstimo de R$ 10 mil. Segundo o relato fornecido aos PMs, Soares disse ter marcado um encontro na Rua Quirino para conversarem sob o pagamento da dívida, mas viu que o sargento reformado teria sacado o revólver para ameaçá-lo. O acusado afirma que, neste momento, conseguiu tomar o revólver de Nogueira e disparou, matando-o na hora.

O local do crime foi isolado para garantir o trabalho dos policiais e de peritos do Instiuto Médico-Legal (IML), que examinaram o cenário e recolheram o corpo do ex-sargento no fim da tarde. O autor do crime foi levado para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que vai investigar o caso.