Em Sergipe, o saldo de emprego foi negativo no mês de setembro

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 25/10/2017 às 06:51:00

Análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS), indicou que, em setembro deste ano, houve saldo negativo de 584 empregos formais no estado. O saldo é fruto da diferença entre admissões (5.796) e desligamentos (6.380) no mês em análise. Nos nove primeiros meses do ano, Sergipe contabiliza saldo negativo de 6.157 empregos.

O Comércio apresentou o melhor desempenho entre os setores, no mês de setembro, com a criação de 272 novos empregos, principalmente no comércio varejista de vestuário e acessórios. As contratações nesse período estão vinculadas às expectativas das vendas de fim de ano, ou seja, a partir desse mês começam as contratações temporárias que se estendem até o final do ano.

A Agropecuária também apresentou saldo positivo de emprego, com a geração de 79 novos empregos, gerados principalmente no cultivo da cana-de-açúcar. A Extração mineral e o setor de Serviços geraram 52 e 33 novas vagas de trabalho, respectivamente. Também foi observada elevação de emprego no setor de Serviços Industriais de Utilidade Pública e no setor da Administração Pública, com 25 e 24 empregos a mais, respectivamente.

Já os setores da Construção civil e da Indústria de transformação apresentaram reduções de postos de trabalho no mês de setembro. O Setor da Construção Civil contabilizou 216 vagas a menos, principalmente nas atividades relacionadas à construção de edifícios.

A Indústria de Transformação apresentou o pior desempenho entre os setores da economia sergipana, com redução de 853 empregos, no mês de setembro. Entretanto, cabe destacar que esse resultado se deve a redução de empregos na fabricação de açúcar em bruto, que teve redução de 880 postos de trabalho, no mês em análise.

 

Emprego nos municípios - Entre os municípios sergipanos com mais de 30 mil habitantes, no mês de setembro de 2017, Capela contabilizou o melhor saldo de empregos, com criação de 80 postos de trabalho, o destaque foi a agropecuária com a maior geração de empregos.

O município de Lagarto gerou 58 novos empregos, com destaque para a indústria de transformação e comércio, os principais geradores de emprego no município. Já em São Cristóvão foram gerados 36 novos empregos, com destaque para o setor de serviços e da indústria de transformação.

O município de Nossa Senhora do Socorro, com saldos negativos de 43 empregos, principalmente no setor da construção civil, já os municípios de Itabaianinha e Estância tiveram reduções de 12 postos de trabalho, cada um.