Autor de sequestro relâmpago teve a prisão decretada

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 27/10/2017 às 06:36:00

Em outra audiência de custódia realizada ontem à tarde no Fórum Gumercindo Bessa, o juiz plantonista Cláudio Bahia Felicíssimo decretou a prisão preventiva do homem que foi flagrado seqüestrando uma mulher no bairro Getúlio Vargas (zona centro de Aracaju). A identificação correta do acusado também foi oficialmente confirmada: trata-se de Ikaro Moisés Lima Santos, 19 anos – e não Ícaro Moisés Pereira Campos, como tinha sido informado no dia da prisão por policiais militares à reportagem do JORNAL DO DIA.

Ikaro Moisés Lima Santos foi preso na manhã desta quarta-feira, dentro de um VW Up branco que tinha sido roubado um dia antes na Atalaia e estava com as placas adulteradas. Na ocasião, uma mulher afirmou ter sido rendida e obrigada a seguir com quatro criminosos, até ser libertada no local. Uma estudante que saía da Escola Estadual John Kennedy também foi assaltada. O carro foi perseguido por soldados do 8º Batalhão de Polícia Militar (8º BPM) e bateu em um muro. Com o acusado, foram apreendidos três telefones celulares possivelmente roubados, além de um revólver calibre 38 com quatro munições.

Em sua decisão, o juiz Felicíssimo considerou que a prisão de Ikaro Santos foi legal e que o mesmo já tem antecedentes criminais, além de sua participação no assalto ter sido confirmada. “A concessão de liberdade se mostra incompatível, no momento, posto que, a materialidade está comprovada pelos depoimentos e declarações colhidos. Indícios de autoria também presentes, tendo em vista que a vítima reconheceu o flagranteado, sem qualquer dúvida, como o autor do roubo que sofrera”, afirma a decisão do juiz.

O caso é investigado pela Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (DRFV). Outra investigação foi aberta pelo Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV), que apura a suspeita de que Ikaro tenha envolvimento com um seqüestro seguido de estupro que aconteceu na noite desta terça-feira, entre os bairros São José, Coroa do Meio e Japãozinho. A suspeita foi levantada pelos policiais do 8º BPM, mas ainda não está oficialmente confirmada. (Gabriel Damásio)