Itabaiana ferve

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 28/10/2017 às 00:46:00

O prefeito Valmir de Francisquinho (PR/Itabaiana) sempre esteve vinculado politicamente e afetivamente aos Teles de Mendonça. Nasceu e se criou convivendo com a família, que o lançou na política.

Nas eleições de 2004 e 2008, Valmir foi o vereador mais bem votado de Itabaiana. Em 2012, os Teles de Mendonça lançaram seu nome para prefeito, tendo sido eleito com 53,59% dos votos válidos no enfrentamento com o então ex-prefeito Luciano Bispo (PMDB), que hoje é presidente da Assembleia Legislativa e é uma grande liderança no município.

Valmir conseguiu fazer uma boa administração nessa época de crise econômica, se destacando administrativamente e politicamente. Em 2016, conseguiu a sua reeleição disputando com o irmão de Luciano, o Roberto Bispo (PMDB), com 65,83% dos votos válidos. 

No processo eleitoral de 2016, a relação política entre Valmir, a deputada estadual Maria Mendonça (PP) e o irmão, o ex-deputado federal José Teles, já não era das melhores. Após alguns conflitos, a irmã Carminha Teles ficou como candidata a vice-prefeita, parecendo que as divergências tinham acabado.

Reeleito prefeito, Valmir deixou por completo de frequentar a residência dos Teles de Mendonça. A relação política entre eles esfriou totalmente a ponto do prefeito começar a articular uma candidatura do seu filho Talyson, primeiramente, a deputado federal e agora a deputado estadual. A candidatura de Talyson a uma cadeira na Assembleia Legislativa leva ao confronto direto com Maria Mendonça, com a divisão de votos do agrupamento político e do eleitorado.

Nem um lado nem outro admitia publicamente o rompimento político, mesmo diante das evidências. Mesmo Valmir chegando a declarar que a família Teles de Mendonça era como “gato: mia, come e reclama”.

Precisou o prefeito perder a eleição antecipada da Mesa Diretora da Câmara Municipal, na última quarta-feira, com os votos dos dois vereadores vinculados aos Teles de Mendonça, para oficializar o rompimento.

Valmir se julgou “traído” e “apunhalado pelas costas” e disse ontem a imprensa, nas diversas entrevistas que concedeu, que não tem mais como conviver com os Teles de Mendonça, que ia exonerar todos os cargos comissionados indicados pela família e que teria apenas uma relação institucional com a vice Carminha.

Maria Mendonça afirmou que não traiu ninguém, que não aceita a “pecha de traidora” e que essa é uma posição “equivocada” do prefeito. Garante que os vereadores João Cândido e Zé Roberto votaram por vontade própria, e sem o seu conhecimento, na vereadora Ivoni Andrade, candidata de Luciano Bispo.

Trocando em miúdos, o resultado da eleição da Mesa Diretora da Câmara foi apenas o estopim para o rompimento político público entre o prefeito Valmir e os Teles de Mendonça, que já se falava abertamente em Itabaiana desde o ano passado, mas que era mascarado pelos dois lados.

E isso vai mudar, radicalmente, a política de Itabaiana...

.................................................................................................................   

 

Em sua defesa 1

A deputada estadual Maria Mendonça (PP) disse ontem que o comportamento do prefeito Valmir de Francisquinho (PR/Itabaiana) tem a ver com o resultado das eleições de 2016. “Como teve uma grande votação entendeu que era o dono do mundo. Depois não voltou mais a nossa casa, onde vivia de manhã, de tarde e de noite”.

 

Em sua defesa 2

Disse ainda a parlamentar: “Estou angustiada, decepcionada com a posição do prefeito que não tem a capacidade de assumir seu sonho, lançar o filho deputado, mas com respeito e consideração”.

 

Em sua defesa 3

Reafirma que não traiu Valmir e não fez acordo com adversários, como disse o prefeito, ao acusá-la de ter se entendido com Luciano Bispo na Assembleia para votar a favor do projeto do governo propondo operação de crédito junto a CEF, na ordem de R$ 560 milhões, para recuperação de rodovias, e depois para eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal.

 

Ponto de vista

Do médico e ex-vereador de Aracaju, Antônio Samarone, cidadão itabaianense, sobre  o conflito político entre os Teles de Mendonça e o prefeito Valmir de Francisquinho: “Na briga dos grupos de Chico de Miguel com o do prefeito Valmir, um será eliminado. Em Itabaiana não cabe terceira via”.

 

Dória em Sergipe 1

Durante recebimento do título de cidadão sergipano, anteontem à noite, na Assembleia Legislativa, o prefeito de São Paulo, João Dória, foi vaiado por um segmento de esquerda que se encontrava nas galerias da Alese, que identificou como petistas e respondeu com críticas ao PT e ao ex-presidente Lula. Dória recebeu o titulo por indicação do deputado estadual Augusto Bezerra (PHS).

 

Dória em Sergipe 2

Em entrevista ontem a imprensa, João Dória afirmou que somente em janeiro do ano que vem haverá uma definição sobre sua pré-candidatura a presidente da República. “Até lá tudo estará cristalizado”, afirmou, enfatizando que acredita na pacificação do PSDB, se referindo a intenção do governador Geraldo Alckmin também desejar disputar o Planalto e os problemas envolvendo o senador tucano Aécio Neves, com uma ala do partido defendendo que renuncie a presidência nacional da legenda.

 

Dória em Sergipe 3

O prefeito tucano de São Paulo ressaltou que essa pacificação deve ocorrer após a convenção do PSDB, a ser realizada em dezembro, quando será eleita a nova executiva nacional do partido.

 

Dória em Sergipe 4

Ele chegou a declarar  que o ex-presidente Lula deve disputar novamente o Planalto em 2018 para “perder as eleições e acabar com esse mito” e que está na hora do Brasil olhar a economia, retomar seu crescimento e seus empregos.

 

Dória em Sergipe 5

Após a entrevista, João Dória proferiu palestra no Tribunal de Contas do Estado (TCE) com o tema “Políticas Públicas sobre drogas e atendimento aos dependentes químicos”. Em seguida, no Hotel Radisson, fez uma palestra com a temática “O papel do setor empresarial na gestão pública”.

 

Presente 1

No TCE, João Dória entregou ao presidente Clóvis Barbosa três obras raras de Sergipe, que integravam acervo da Biblioteca Mário de Andrade, em São Paulo. As obras são: ‘Álbum de Sergipe, 1820 – 1920’; ‘Álbum Photographico de Aracaju’ e ‘Província de Sergipe’. Nelas constam  antigos registros fotográficos de paisagens sergipanas.

 

 

Presente 2

Em Sergipe, João Dória esteve sempre acompanhado do senador tucano Eduardo Amorim, que foi quem o convidou a vir a Sergipe. O parlamentar presenteou o prefeito com o livro de fotografia 'Litoral ao Sertão. Sergipe em Imagens', do fotógrafo Márcio Dantas e outros profissionais.

 

Em pauta no Acre 1

Durante Encontro de Governadores do Brasil pela Segurança e Controle das Fronteiras, realizado ontem no Acre, o governador Jackson Barreto (PMDB) ressaltou a necessidade de uma política nacional integrada para conter o tráfico de drogas e de armas, do fechamento das fronteiras e a criação de um fundo constitucional de segurança como tem com a saúde e a educação. Para JB, o problema do crescimento da violência no país é de responsabilidade do governo federal, por não fechar as fronteiras para coibir o tráfico de drogas e armas, levando a polícia a “enxugar gelo”.

 

Em pauta no Acre 2

No evento, o governador anfitrião Tião Viana (PT) apresentou dados do  Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) que mostra o Brasil como o segundo maior consumidor de cocaína do mundo e com mais de 279 mil mortes relacionadas ao tráfico. Desse total, 53% são jovens entre 15 e 29 anos. Triste realidade.

 

Medida acertada 1

or orientação do Ministério da Justiça, o presidente Michel Temer vetou integralmente o projeto de lei que autorizava o uso de armas de fogo por agentes de trânsito. Consultado pelo presidente, o Ministério da Justiça disse que a medida vai contra o que preconiza o Estatuto do Desarmamento e que os agentes referidos na proposta não exercem atividade de segurança pública.

 

Medida acertada 2

O projeto foi aprovado no Senado em 27 de setembro, em votação simbólica, e seguiu para sanção presidencial. O projeto concedia porte de arma de fogo a agentes da autoridade de trânsito da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios que não sejam policiais. Guardas municipais nessa função também teriam o mesmo direito. Os senadores Eduardo Amorim (PSDB) e Antônio Carlos Valadares (PSB) votaram a favor.

 

 

Veja essa...

 

Do ex-deputado federal João Fontes sobre a sua pré-candidatura ao Senado em 2018 pelo PPS: “Vou fazer calo de sangue em muita gente. Vou dar muito trabalho”.

 

CURTAS

 

Do senador Antônio Carlos Valadares: “Voto da Câmara a favor de Temer pode ser o início de um novo tempo para que o hoje nunca mais aconteça. Em 2018 o voto poderá mudar tudo”.

 

Do ex-deputado estadual Jorge Araújo: “Finalmente uma boa notícia. O presidente Temer vetou o uso de arma de fogo por parte de agentes de trânsito. Os guardas de trânsito devem ter como armas a orientação e o apito. Para orientar e controlar o trânsito o agente não precisa de arma de fogo”.

 

Acontece neste sábado a Conferência Estadual do PCdoB, a partir das 9h, na sede do Sindicato dos Bancários.  No evento, que terá a presença da dirigente nacional do partido, Nádia Campeão, serão apresentadas as teses do 14º Congresso Nacional do Partido.

 

O PPS realizará o seu Congresso Estadual no dia 17 de novembro, das 9h às 17h, na Assembleia Legislativa. Na oportunidade, haverá filiações ao partido.