PSOL pode ter Sonia Meira como candidata a governadora

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Sônia Maire discursa durante encontro do PSOL. Foto: Divulgação
Sônia Maire discursa durante encontro do PSOL. Foto: Divulgação

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 07/11/2017 às 06:06:00

No último domingo (05), durante a realização do Congresso Estadual do PSOL Sergipe, o nome da professora Sonia Meire foi indicado pela militância do partido como pré-candidata ao cargo de governadora do estado para o pleito eleitoral 2018. A indicação da professora para o cargo majoritário foi fruto da decisão partidária de que o PSOL terá candidatura própria nas próximas eleições.

“Vivenciamos um momento político, social e econômico que é necessário avançar na luta contra as reformas e, apresentar para o conjunto da classe trabalhadora sergipana um projeto alternativo, que através da construção desse programa pela base, ou seja, por cada trabalhador (a) possibilite este (a) participar ativamente das decisões políticas e econômicas que determinam o futuro de seu estado e consecutivamente de suas vidas”, afirma a professora.

Embora não seja a única pré-candidata ao governo pelo PSOL, Sônia Meire já foi indicada em dois momentos pelo partido para ser a candidata pela Frente de Esquerda a governadora, em 2014, e prefeita de Aracaju, em 2016. A decisão do nome que representará o PSOL para as eleições do próximo ano só será confirmado após as prévias partidária, durante a conferência eleitoral do partido que ocorrerá no primeiro semestre de 2018.

“Sou mulher, professora, sindicalista, ativista dos movimentos de luta por terra e por moradia. Nós, que todos os dias pagamos muito caro para tentar sobreviver nesse modelo de sociedade, não devemos mais aceitar governos conservadores de direita ou muito menos aqueles que tentam trabalhar com a lógica da conciliação entre os interesses da classe trabalhadora e os interesses da elite econômica. A nossa pré-candidatura vem para somar com todas e todos os trabalhadores na construção de um projeto que possa atender nossas demandas em torno da garantia de nossos direitos como à terra, moradia, educação, lazer, saúde pública, dentre outros que foram arrancados de nós ao longo dos anos”, encerra Sonia Meire.

Na oportunidade a plenária congressual ainda definiu que fará o chamado para composição da Frente de Esquerda em Sergipe, compostas pelo PSTU e PCB.