Para Gualberto, pagamento do 13º integral está garantido em lei

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 08/11/2017 às 06:28:00

“Para fazer política não precisamos recorrer a expedientes que não são éticos, não são decentes, não ajudam a sociedade e nem aos servidores públicos”. Foi com esse discurso que o deputado estadual Francisco Gualberto (PT), líder do governo na Assembleia Legislativa, reagiu à mentira contada pela oposição sobre o pagamento do 13º salário dos servidores do Estado. O projeto de lei do Executivo que garante o pagamento integral, através de empréstimo bancário, será discutido e votado na sessão desta quarta-feira (8).

Segundo Gualberto, todos os servidores estaduais que desejarem terão acesso ao pagamento integral do 13º já a partir dos próximos dias, após a aprovação da lei e os tramites burocráticos entre governo e o Banco do Estado de Sergipe (Banese). “Bastará que o servidor interessado faça o procedimento junto ao banco, como ocorreu nos últimos dois anos. Não haverá nenhum prejuízo para o servidor, que só não receberá o 13º integral se não quiser”, informa o deputado.

Desde ontem a oposição vem dizendo que o pagamento do 13º será parcelado, numa tentativa de desgaste do governo junto aos servidores. “O pagamento será integral e no tempo certo. Mesmo com toda crise econômica que o país e os estados atravessam, o governo Jackson Barreto buscou soluções. Portanto, há uma diferença muito grande entre parcelar o 13º e ir ao banco buscar seu salário integralmente”, disse Gualberto, contrariado com as tentativas de “inverdades” da oposição.

Pelo projeto a ser votado nesta quarta-feira, o governo do Estado se compromete a pagar ao Banese o valor entregue ao servidor que requisitar o 13º. Nessa transação com o banco, o governo também fica responsável pelo pagamento dos valores acrescidos de juros e correção monetária. “Não há prejuízo algum para o servidor. Além disso, lembramos que os servidores já recebem parte do 13º salário no mês de aniversário, conforme lei estadual”, adianta Francisco Gualberto.

A solução encontrada pelo governo para garantir o 13º dos servidores é elogiada por muitos parlamentares, mas membros da oposição torcem pelo caos para tirarem proveito político. “Pesquisas indicam que 67% dos municípios brasileiros não deverão pagar o 13º em dezembro. Muitos estados também não. Portanto, a situação é bastante preocupante no país. Mas em Sergipe o servidor só não receberá integralmente agora se não quiser”, reforça Gualberto. Caso não faça a opção pelo recebimento via empréstimo bancário, aí sim o servidor estadual receberá seu 13º em seis parcelas.