Liderança republicana

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 09/11/2017 às 06:20:00

Até as eleições de 2014, a oposição tinha como líder maior o senador Eduardo Amorim (PSDB). O parlamentar chegou a disputar o governo do Estado com Jackson Barreto (PMDB), perdendo ainda no primeiro turno por uma diferença de quase 120 mil votos.

Eduardo sentiu a derrota e se recolheu politicamente, talvez não só pela simples derrota nas urnas, mas, pelo grande endividamento da campanha e o fato de não ter conseguido honrar muitos compromissos políticos durante o processo eleitoral. O mesmo aconteceu com o seu irmão e mentor Edvan Amorim.

Reeleito deputado federal, André Moura começou a ser mais procurado pelos prefeitos e lideranças da oposição que se sentiam “abandonadas” pelos irmãos Amorim. Sempre muito solícito, conquistou logo a confiança e o respeito dos aliados.

Ao se tornar líder do governo na Câmara, em 2016, com mais possibilidades de atender as demandas dos aliados de Sergipe, André já passou a ser considerado como líder maior do seu agrupamento político.

Já como líder do governo no Congresso, desde março deste ano, Moura passou a ter também o respeito do governador Jackson Barreto (PMDB), que o procurou para resolver problemas de Sergipe.

No primeiro encontro, a pauta foi a liberação de recursos para implantação do projeto do Canal de Xingó. Depois veio a retomada das obras de duplicação da BR – 101 e das obras do Aeroporto de Aracaju.

André não deixou de atender ao pleito do governador. Correu atrás e agilizou a liberação dos recursos para projetos e obras, sobre o protesto de algumas lideranças da oposição que faz a política do “quanto pior melhor”.

Jackson abriu as portas para que prefeitos do seu agrupamento político procurassem o líder do governo, para que viabilizasse a liberação de recursos de emendas do Orçamento da União. Um deles foi o prefeito Edvaldo Nogueira (PCdoB), que, através de André, conseguiu a liberação de R$ 63 milhões em menos de um mês para obras de pavimentação, esgotamento sanitário, drenagem e recapeamento asfáltico de vários bairros de Aracaju.

Ontem, Jackson Barreto voltou a se encontrar com André Moura com o propósito de pedir agilização na liberação do financiamento de R$ 560 milhões junto a Caixa Econômica Federal para recuperação das rodovias estaduais, já aprovado pela Assembleia Legislativa. O líder se comprometeu a ajudar e ainda o acompanhou na audiência com o presidente Michel Temer, realizada no final da tarde, no Palácio do Planalto, quando foi reforçado o apelo pela liberação dos recursos.

Isso mostra que Jackson e André tem se mostrado grandes estadistas ao colocarem os interesses de Sergipe acima de questiúnculas políticas.

Com isso, André vai se cacifando ainda mais como liderança da oposição em Sergipe e sendo o preferido dos aliados para disputar o governo do Estado.

Resta saber se vai encarar o desafio, que pode ter dissabores judiciais.

.................................................................................................................    

 

 

Com Temer 1

Foi em clima amistoso a conversa do governador Jackson Barreto (PMDB) com o presidente Michel Temer. Conversaram sobre a saúde do presidente, sobre a época do MDB e as disputas. Depois JB falou do financiamento do Finisa, na ordem de R$ 560 milhões, enfatizando que já tinha sido aprovado pela Alese e pela CEF, só faltando parecer da Secretaria do Tesouro Nacional. Enfatizou que os recursos vão recuperar 70% das rodovias estaduais.

 

Com Temer 2

O presidente se colocou à disposição para pedir celeridade na liberação do financiamento o mais rápido possível. Disse que falaria com o ministro Henrique Meirelles (Fazenda) para que entrasse em contato com o pessoal do Tesouro Nacional para agilizar a liberação dos recursos.

 

Com Temer 3

Na audiência, o governador também pediu a liberação de recursos para compra de ambulâncias e viaturas do Samu. Temer informou que no próximo dia 22 de novembro estaria sendo votada uma PLC sobre o exercício da atividade do condutor de ambulância e até o final do ano o governo estaria liberando recursos para aquisição desses veículos pelos Estados.

 

Com Temer 4

Ao final da audiência, que durou cerca de  20 minutos, Jackson agradeceu a atenção do presidente, assim como dos deputados federais que o acompanharam: André Moura (PSC) e Fábio Reis (PMDB). Destacou o fato de André não está fazendo movimento contrário para liberação do financiamento de R$ 560 milhões e está sempre solicito aos pleitos do Estado.

 

Pleito para Lagarto

O deputado Fábio Reis solicitou a JB que com a liberação do financiamento do Finisa seja feita a duplicação da estrada de entrada a Lagarto, em torno de 1km, pelo grande fluxo de veículos por ser de acesso a feira, ao Campus da UFS e ao shopping, além de outros municípios. JB prontamente determinou ao secretário Valmor Barbosa (Infraestrutura), que incluísse a obras nos projetos de recuperação das rodovias estaduais que estão sendo feitos.    

 

Assédio sexual 1

Desde a terça-feira à noite que foi noticiado nas redes sociais que a jornalista Candisse Matos teria sido vítima de assédios sexual por parte de um secretário de Estado.  Com essa repercussão, o vereador cabo Amintas (PTB) acusou ontem, no plenário da Câmara Municipal, o secretário Almeida Lima (Saúde) de assediar sexualmente mulheres que vão tratar de assuntos profissionais em seu gabinete na secretaria.

 

Assédio sexual 2

Chegou a declarar o vereador: “Secretário Almeida Lima tome vergonha na sua cara feia. Pare com isso. O senhor tem mulher não tem? Como funciona isso em casa? É casado nê? Não tá desrespeitando só as mulheres que vão no seu gabinete, mas, também, a família. Quer destruir  sua família destrua de uma vez, mas não faça isso com a família dos outros”.

 

Assédio sexual 3

Ressaltou Amintas: “É por isso que ele mexe muito na equipe. Porque entram mulheres compromissadas, direitas, competentes, mas se não cederem aos caprichos desse secretário nojento, elas perdem o emprego. Precisamos ser solidário a essas vítimas”.  O vereador apelou ainda para que as vítimas denunciem o secretário sem medo, por entender que se não denunciarem ele vai continuar assediando.

 

Em sua defesa 1

Em nota ontem a imprensa, Almeida Lima disse que repudiava a agressão “moral e psicológica” que estava sofrendo, sobretudo a partir das 22h da terça-feira, quando tomou conhecimento, via whatsapp, de comentário “apócrifo e falso” de assédio sexual. Diz que em momento algum a jornalista Candisse o acusou de tal prática, tornando-se vítima tanto quanto ele.

 

Em sua defesa 2

Ainda na nota, o secretário informa que procurou a Delegacia de Crimes Cibernéticos e prestou a devida denúncia a fim de apurar o autor ou autores desse crime. “Por último, informo que disponibilizarei para as autoridades a gravação em vídeo das audiências que concedi à jornalista, quando, em meu gabinete, ela esteve intervindo em favor da saúde de uma pessoa do seu convívio familiar”.

 

Veja essa...

Informações chegadas à coluna dão conta que na reunião que o governador Jackson Barreto teve com o presidente Michel Temer ele se queixou dos discursos dos deputados federais Jony Marcos (PRB) e Fábio Mitidieri (PSD) na votação da Câmara da segunda denúncia contra ele, por organização criminosa e obstrução da denúncia. Temer também teria se queixado de Laércio Oliveira (SD), que teria se comprometido com ele e não votou.  

 

 

 

CURTAS

 

O vereador Cabo Amintas (PTB) deu entrada ontem, na Câmara Municipal, com uma moção de apoio as vítimas de assédio sexual.

 

Segundo o vereador, ele já tem algumas provas de assédio sexual supostamente praticado pelo secretário Almeida Lima. E vai apresentar hoje. 

 

O pré-candidato ao governo Mendonça Prado (PPS) continua viajando pelo interior para conceder entrevistas à imprensa sobre sua predisposição de disputar o governo em 2018. Ontem esteve em Lagarto, concedendo entrevista na rádio Progresso.

 

O fechamento de 563 agências bancárias do Banco do Brasil e 120 da Caixa Econômica, além de 250 dos Correios, foi debatido ontem em audiência pública na Comissão de Defesa do Consumidor, com a participação do deputado federal Fábio Mitidieri (PSD).

 

Por 11 x 8, os deputados aprovaram o projeto de lei do Poder Executivo nº 189/2017 que prevê abono especial de 12,42% aos servidores públicos, aposentados e pensionistas para pagamento do 13º salário em seis parcelas, mas que os servidores poderão receber de uma única vez se fizerem a adesão ao abono pago pelo Estado.

 

O líder da oposição na Assembleia, Georgeo Passos (PTC), lamentou que a proposta tenha sido aprovada. “Estão empurrando as coisas com a barriga. Se acomodaram e agora virou rotina parcelar o 13º salário em vez de que ajustar as contas e respeitar os servidores”, afirmou.

 

 

Foto legenda

 

Ao receber ontem o governador Jackson Barreto (PMDB) e o deputado federal Fábio Reis (PMDB), em seu gabinete, para tratar do financiamento de R$ 560 milhões da Caixa Econômica Federal, o líder do governo no Congresso, deputado André Moura (PSC), disse que tudo fará para liberar o crédito, como fez com outras demandas apresentadas por JB e por prefeitos sergipanos.

 

Ressalta que todos sabem que as estradas de Sergipe estão em situação precária e, por esta razão, ver o empréstimo como “vital neste momento”.