Dois assaltos seguidos na estrada aterrorizam Laranjeiras

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 09/11/2017 às 06:55:00

Uma noite de terror foi vivida nesta terça-feira em Laranjeiras (Vale do Cotinguiba), com dois assaltos violentos registrados em poucas horas. O primeiro caso envolveu o ataque ao motorista Herbert Dias dos Santos, 30, enteado da vice-prefeita da cidade, Suely Alves. De acordo com informações confirmadas pela prefeitura local, ao passar de carro por um trecho da BR-101, próximo ao acesso principal do município, ele foi abordado por dois homens que emparelharam com o carro que dirigia. Herbert estava acompanhado da esposa e tentou desviar dos bandidos, mas foi ferido com um tiro na cabeça.

Os criminosos fugiram sem levar nada do carro da vítima. A esposa assistiu ao ataque e ligou para avisar do crime aos parentes, que chamaram a polícia. Herbert foi atendido por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levado em estado grave para o Hospital Regional de Nossa Senhora do Socorro, mas logo transferido para o Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). A assessoria de imprensa do hospital informou que Herbert está na Ala Vermelha da unidade e aguarda o resultado de uma tomografia, entubado esem previsão de cirurgia.

Na mesma noite, um ônibus escolar com estudantes que moram em Laranjeiras foi assaltado por três marginais armados com revólveres. A abordagem aconteceu na altura do Povoado Gameleira. Algumas vítimas relataram em redes sociais que os criminosos obrigaram o motorista a parar e abordaram a todos com muita violência, exigindo a entrega dos pertences com ofensas e ameaças de morte.

“Eu falava a ele que não tinha celular, nem nada, e ele fiava com a arma apontando e dizendo que eu tinha, chamando todo mundo de fuleira. Queria que todo mundo tirasse a roupa pra poder ver se tinha celular. Nisso, tinha um outro homem do lado, batendo no ônibus armado, outro tocando o terror lá dentro, e o de fora também. Depois, quando acabou, deram três tiros no ônibus e a gente teve que deitar todo mundo no chão. Sinceramente, espero que ninguém nunca tenha que passar por isso”, lamentou uma vítima, em gravação divulgada nas redes sociais.

A Polícia Militar fez buscas em toda a região, mas, nos dois casos nenhum suspeito foi preso. Os casos são investigados pela Delegacia de Laranjeiras.