Lázaro Ramos homenageia Antonio Pitanga

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 15/09/2012 às 11:45:00

Qual era o samba que existia em 1903? Essa foi a pergunta que diretores e atores de Lado a Lado tiveram que responder para criar as cenas de samba de roda na nova novela das 18h. Apesar da profunda pesquisa histórica feita para a trama e do trabalho do coreógrafo Jayme Arôxa, a equipe esbarrou em um problema: a falta de imagens em movimento que registrassem a maneira de sambar daquela época. Nunca chegarei aos pés do que o Pitanga faz ali na época no Cinema Novo"

Lázaro Ramos - "Esse samba que chegou na avenida, esse samba que virou pagode, que teve na casa da tia Ciata, como é que ele nasceu? Fisicamente a gente está inventando, está botando um pouquinho de curiosidade. Estamos fazendo um híbrido do que é esse samba que virou", conta Lázaro Ramos.

Lázaro Ramos conta que foi beber em uma fonte especial: o filme Barravento, o primeiro longa-metragem de Glauber Rocha, de 1961: "Tem uma cena de samba que eu, particularmente, estou fazendo uma homenagem ao Antonio Pitanga, em uma cena linda que ele fez lá em Barravento. Nunca chegarei aos pés do que o Pitanga faz ali na época no Cinema Novo, mas é uma referência daquele samba."

O filme de Glauber Rocha mostra o samba em uma aldeia de pescadores na Bahia, povoado em que muitas tradições de origem africanas ainda são fortes. "Era aquele samba que ainda tem uma influência do recôncavo baiano, então tem um gingado que está misturado com capoeira, com samba", explica Lázaro Ramos.
Vale lembrar que o ator Antonio Pitanga é o pai de Camila Pitanga, que vive Isabel, par romântico de Lázaro Ramos em Lado a Lado.