‘Suvaco da Gata’: polícia prende mais quatro acusados

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Armas e documentos apreendidos com os acusados. Foto: Divulgação/SSP
Armas e documentos apreendidos com os acusados. Foto: Divulgação/SSP

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 11/11/2017 às 06:45:00

A Polícia Civil prendeu mais ontem quatro acusados de envolvimento com o grupo apontado como responsável pelo tráfico de drogas na comunidade do ‘Suvaco da Gata’. A ação foi um desdobramento da operação deflagrada na quinta-feira, que resultou na morte de Alexandre de Jesus Santos, o ‘Alexandre do Sovaco da Gata’, 28 anos, acusado de ser o chefe do grupo. Na ocasião, outros dois suspeitos morreram e quatro foram presos, além da apreensão de um adolescente de 16 anos.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública, os presos identificados como Alexandre Silva dos Santos, o ‘Xande’; Alexandre de Jesus Rocha, o ‘Franildo’; Eduardo de Jesus Menezes, o ‘Duduca’; e o filho Willames Rocha Menezes, foram capturados na BR-101, nas imediações do Parque dos Faróis, em Nossa Senhora do Socorro, quando estavam em um veículo Toyota Etios de cor prata. Com eles foram apreendidos um tablete de maconha prensada, um rifle winchester calibre 44 e dois revólveres calibre 38, e um colete balístico.

O delegado Hugo Leonardo Melo, do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), disse que, com as prisões e mortes dos integrantes da quadrilha, os quatro acusadosperceberam que o cerco estava se fechando e resolveram fugir da capital. “Como a operação não cessou, Alexandre Silva, Alexandre, Eduardo e o filho Willames acabaram surpreendidos quando tentavam fugir de Aracaju para buscar abrigo em outra localidade”, destacou.Os presos foram encaminhados a sede do Cope, onde foram autuados em flagrante.

Mais cedo, na sala de imprensa da SSP, os detalhes da operação foram detalhados em uma coletiva de imprensa. De acordo com o delegado da 9ª DM, Gilberto Guimarães, os acusados já eram alvos de investigações da unidade e do DHPP, sendo apontados como envolvidos em três assassinatos registrados nos últimos dias no loteamento Jardim Recreio. As mortes estariam relacionadas a acerto de contas em decorrência da briga entre o grupo de Alexandre e a quadrilha que atua no loteamento.“O Cope passou a desenvolver uma investigação em função desse cruzamento das investigações, quando observou que eram os mesmos indivíduos que estavam sendo investigados pela 9ªDM e pelo DHPP pelas ações no bairro Santa Maria. Por conta disso, iniciamos o trabalho em conjunto”, afirmou o delegado Gilberto Guimarães.

Como resultado da operação, de acordo com o delegado Gilberto, foram presos José Vieira Santos, Gileno dos Santos, Luciano Silva Lima e Luiz Augusto da Silva Lima, esses dois últimos irmãos. No confronto, Alexandre morreu junto com Douglas Oliveira Santana, o “Zeis” e Jadson Vieira Santana o “Nino”.Na tentativa de furar o cerco policial, os três estavam armados com escopetas de repetição calibre 12 e revólver, invadiram uma casa e reagiram à prisão. Houve o revide e, no confronto, o trio foi alvejado e morreu depois de receber socorro médico no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse).

Segundo o delegadoHugo Leonardo, as investigações apontando a autoria dos crimes aos suspeitos. “O Cope começou a investigar no início de agosto deste ano a partir de roubos cometidos na zona rural do município de São Cristóvão. Diversas fazendas e sítios estavam sendo invadidas por até seis homens armados, então as investigações começaram e apontaram para esses indivíduos no bairro Santa Maria. Três indivíduos foram presos no mês de setembro pela equipe da 9ªDM, juntamente com o Cope em uma operação conjunta: o Henrique vulgo “Fininho” e dois suspeitos conhecidos como “Pepeta” e “Smigol”. Estes últimos presos com dois revólveres calibre .38 e uma pistola 9mm”, afirmou.

O delegado ainda conta que como a prisão do líder do bando não havia sido realizada, as investigações prosseguiram. “O líder do bando, o Alexandre, fugitivo do Complexo Penitenciário Manoel Carvalho Neto (Copemcan), continuava solto. Ontem recebemos a informação de que ele estaria escondido e ferido porque houve um confronto na noite anterior com grupos rivais da invasão do Jardim Recreio. Conseguimos assim elucidar seis crimes de homicídios cometidos por esse grupo”, declarou.

Ele adiciona que um adolescente que fazia parte do grupo e foi apreendido era considerado como um dos executores mais ativos. “O adolescente de 16 anos de idade usava um revólver calibre 38 e fazia os disparos. Ele era um dos executores mais ativo do grupo”, concluiu Hugo Leonardo.

 

Histórico – Alexandre tem um histórico de crimes extenso e estava foragido do Complexo Penitenciário Manoel Carvalho Neto (Copemcan), em São Cristóvão, desde o dia 22 de dezembro do ano passado, quando conseguiu escapar da unidade prisional depois de serrar grades e escalar o muro, com outros 23 internos. Ele ainda estava com quatro mandados de prisão decretados pela Justiça.

Entre os crimes atribuídos a ele estão o assassinato de Manoel Edvaldo Lima dos Santos, ocorrido no dia 17 de maio de 2015 na rua C do loteamento Jardim Recreio no Santa Maria; o homicídio de Carlos Chagas dos Santos, ocorrido no dia 17 de agosto de 2013 na rua 21 do conjunto Valadares; a morte de Douglas Cardoso dos Santos que aconteceu no bairro 17 de Março, no dia 4 de setembro de 2013. Além disso, ele respondia a processo pela tripla tentativa de homicídio que vitimou Carlos Roberto dos Santos, Carlos André Silva e Jadson Siqueira, fato ocorrido no dia 3 de julho de 2013 na rua B-15, no conjunto Valadares.