O Noventa

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 15/11/2017 às 05:54:00

Em 21 de maio de 2014, o jornalista Rodrigo Rodrigues, do portal Terra, denunciou uma disputa acirrada pelo comando do Sindicato dos Motoristas de Ônibus de São Paulo, envolvendo desvios de recursos e assassinatos.

Escreveu o jornalista: Na linha de frente da greve de ônibus que pegou todos os trabalhadores de São Paulo de surpresa na volta para casa nesta terça-feira (20) – e que continua nesta quarta – o Sindicato dos Motoristas de Ônibus de São Paulo (Sindmotoristas-SP) tem um longo histórico de disputas, desvios de verba e até assassinatos.

Os dois sindicalistas que disputam o poder na entidade têm em comum vários problemas judiciais, como acusações de enriquecimento ilícito, formação de quadrilha e suspeitas de ligação com organizações criminosas.

Valdevan Noventa, o atual presidente, e Isao Hosogi – o Jorginho, que hoje está na oposição, eram aliados até 2003, quando os dois foram presos sob acusação de comandar uma máfia que organizava greves em conluio com empresas de ônibus na cidade.

Os dois faziam parte da mesma diretoria até o ano passado, quando Valdevan Noventa ganhou força para disputar a presidência contra “Jorginho”, que estava no cargo desde 2004.

Acusando o ex-aliado de ser o “Jorginho do Patrão”, Valdevan Noventa ganhou espaço expondo supostos bens de Isao Hosogi durante a campanha. Entre os bens haviam casas de praia e imóveis que somariam, segundo o adversário, um patrimônio de mais de R$ 16 milhões – valor incomum para um sindicalista de uma categoria com salários tão achatados, com piso salarial de R$1.955,00 para motoristas e R$1130,0 para cobradores.

Após saírem da cadeira em 2004, Isao Hosogi assumiu a presidência com apoio do ex-presidente Edvaldo Santiago, mesmo com a acusação de conluio com empresários ainda a ser resolvida na Justiça.

Valdevan Noventa, por sua vez, assumiu uma cooperativa de perueiros em Taboão da Serra, onde se tornou vereador pelo PV e, mais tarde, foi investigado pela Polícia Civil por suspeita de lavar dinheiro do tráfico de Paraisópolis nas lotações da cidade, além de ligação com a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).

Em 2010, o assassinato de três dirigentes do Sindmotoristas-SP levantou suspeitas que até hoje não foram confirmadas pela Justiça de que o então presidente, Isao Hosogi, comandava um esquema interno de desvio de dinheiro nos contratos de planos de saúde da categoria.

A morte dos diretores fez emergir o suposto esquema, que, segundo a Polícia Civil, teria movimentado irregularmente cerca de R$ 500 mil.

Por conta dos assassinatos e dos supostos esquemas de fraude, a eleição que colocou os dois dirigentes sindicalistas em rota de colisão ficou mais acirrada, obrigando a intervenção da Justiça do Trabalho e ficando quase três meses paralisada.

No dia marcado para a eleição da entidade, no fim de julho de 2013, uma confusão relacionada à distribuição das urnas terminou em tiroteio que deixou três pessoas baleadas e obrigou a paralisação do processo eleitoral imediatamente.

Na nova eleição de setembro, a chapa de oposição comandada por Valdevan Noventa venceu o pleito apoiado pela UGT (União Geral dos Trabalhadores) e obteve 57,3% dos votos da categoria.

A matéria foi finalizada com o jornalista dizendo que já Isao Hosogi, apoiado pela CUT e pela Força Sindical, perdeu o cargo após três mandatos seguidos.

Para quem não conhece, Valdevan Noventa é natural de Estância e está em Sergipe fazendo campanha para deputado federal em 2018. Comprou uma propriedade em Arauá, onde reside, e vem atuando forte na região, principalmente em Estância e Itabaianinha.

Vem bancando festas, a exemplo de vaquejadas, na região, negociando com vereadores e já está gastando muito dinheiro, o que vem chamando a atenção e causando preocupação dos pré-candidatos a deputado federal em 2018.

Que a justiça eleitoral anote este nome: Valdevan Noventa.

.............................................................................................................

 

Ainda o Noventa 1

Em 10 de julho de 2013, o jornalista Diego Zanchetta escreveu em seu blog: “De aliados a inimigos que se enfrentam nos tribunais, os dois homens que disputam hoje a presidência do Sindicato dos Motoristas de Ônibus de São Paulo têm em comum um longo histórico de problemas com a Justiça. Nas fichas policiais de Isao Hosogi, de 60 anos, da situação, e de Valdevan Noventa, de 44, da chapa de oposição, constam acusações de enriquecimento ilícito, formação de quadrilha e suspeitas de ligação com o crime organizado”.

 

Ainda o Noventa 2

Ressaltou ainda: “Alguns desses crimes teriam sido cometidos pelos dois em conjunto até 2003, quando Hosogi e Noventa, diretores da mesma chapa que comandava o sindicato, foram presos acusados de comandar uma máfia que organizava greves em conluio com as empresas de ônibus. Hoje, porém, eles trocam acusações mútuas. As rusgas começaram há cerca de cinco meses, quando Noventa passou a ganhar apoio de parte da atual diretoria para montar chapa própria pela disputa da entidade”.

 

Comemorando o crescimento

O ex-deputado federal Heleno Silva (PRB) está satisfeito com o crescimento do seu nome para o Senado em 2018, enfatizando que isso é fruto do seu trabalho junto ao povo iniciado há 10 meses. “Antes meu nome era colocado de lado da chapa majoritária. Só se falava em Jackson [Barreto] e Rogério [Carvalho]. A chapa que se pensava há 10 meses não é mais a mesma”, acredita.

 

Ponto de vista 1

De Heleno Silva, ao ser questionado pela coluna sobre a formação da chapa majoritária da situação: “Tudo será definido a partir de abril [2018], com a saída ou ficada do governador no governo”.

 

Ponto de vista 2

Para o pré-candidato ao Senado pelo PRB, se Jackson Barreto ficar no governo até o final do mandato a composição da chapa majoritária será uma e se ele sair em abril será outra. 

 

Sem problema 1

O deputado estadual Augusto Bezerra (PHS) ficou de ter uma conversa entre ontem e hoje com o ex-prefeito Manoel Sukita para discutir a possibilidade da sua filiação a legenda. O parlamentar disse à coluna não ter nada contra a ida de Sukita para o seu partido.

 

Sem problema 2

“O PHS tem o vereador Seu Marcos, Dr. Agnaldo e o ex-vereador Agamenon Sobral. Se Sukita vier será bem vindo. Não tenho preocupação com dono de partido. Acho bobagem essa questão de dono de partido, não acrescenta nada. Não vejo o partido como propriedade, mas um local para exercitar a política, ter espaço político para oferecer aos amigos”, disse.

 

Podemos

Sukita perdeu o comando do Podemos em Sergipe e caminha para se filiar e comandar o PHS. Até o final do ano o secretário Zezinho Sobral (Inclusão Social) deve assumir o comando do partido em Sergipe e disputar mandato de deputado estadual em 2018.

 

PPS

Nessa sexta-feira o PPS realiza o seu Congresso Estadual, oportunidade em que ocorrerá as filiações dos ex-deputados federais Mendonça Prado e João Fontes e, consequentemente, o lançamento de suas pré-candidaturas ao governo do Estado e ao Senado respectivamente. O evento acontecerá às 10h, no plenário da Assembleia Legislativa, com a presença do presidente nacional da legenda, deputado federal Roberto Freire.

 

No interior 1

O governador Jackson Barreto (PMDB) esteve ontem em São Domingos ao lado do vice-governador Belivaldo Chagas (PMDB) entregando a pavimentação em paralelepípedo granítico de doze vias do município, em um investimento de R$ 501.589,36. JB também assinou a ordem de serviço para a implantação e iluminação da Avenida Pedro Alves da Silva, que será construída para modernizar São Domingos. Os investimentos são de R$ 2.462.322,90.

 

No interior 2

Acompanhavam o governador e o vice, o prefeito Pedro Silva (PT-São Domingos);  o ex-líder da oposição na Assembleia Legislativa, deputado estadual Venâncio Fonseca (PP); e o presidente estadual do PT, ex-deputado federal Rogério Carvalho. Venâncio hoje está mais para o governo que para a oposição.

 

Veja essa...

Ganhou repercussão nacional e internacional a prisão do cavalo chamado Faceiro, em Nossa Senhora Aparecida, após ter dado um coice em um carro durante vaquejada realizada no município, no último domingo. Entre os veículos de comunicação que divulgaram a matéria o Jornal da Globo, o G1 Globo e o portal Daily Mail Online.

 

...e essa...

Ontem o secretário da SSP, João Eloy, determinou que o comando da PM afastasse o oficial comandante do policiamento em Nossa Senhora Aparecida, o capitão Vagno Passos, até a conclusão da apuração por haver, inclusive, denúncia de maus tratos do animal. Decisão acertada.

 

CURTAS

 

Heleno Silva estranhou que na solenidade recente do governo do Estado, em Porto da Folha, o vice-governador Belivaldo Chagas, pré-candidato ao governo, não tenha falado. Revela que achou estranho porque falaram os secretários Zezinho Sobral (Inclusão Social) e Esmeraldo (Agricultura), e Belivaldo permaneceu em silêncio.

 

Os deputados federais e senadores já estão no recesso esta semana, em razão do feriado da Proclamação da República. Chegaram ontem a Sergipe e só retornam a Brasília agora na próxima semana.

 

Do ex-deputado federal José Carlos Machado, secretário-geral do PSDB, sobre a oposição ter três nomes à disposição para concorrer ao governo (Eduardo Amorim, André Moura e Valadares): “Não é melhor ter vários nomes do que nenhum?”.  

 

De parabéns a polícia de Sergipe que em menos de 48h conseguiu identificar os criminosos envolvidos no assalto, tortura de funcionários, roubo de aves até a morte de uma delas, no Parque dos Falcões, no último domingo, através da detenção de um menor que disse ter sido coagido a participar do crime pelo cunhado. Que quando os quatro criminosos sejam presos a Justiça não mande soltar.

 

 

 

Foto legenda – CAVALO PRESO

 

Nas redes sociais foi bem comentada a criatividade dessa imagem, uma referência a prisão, por 18h, do cavalo que deu um coice em um carro, e de permanecer no Planalto o presidente Michel Temer, acusado pela Procuradoria Geral da República de crimes de formação de quadrilha, organização criminosa e obstrução da justiça.