Choro e MPB integram o Projeto Freguesia deste fim de semana

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 15/09/2012 às 12:20:00

Para descontrair as Feiras Livres de Cultura e Arte Popular, realizadas pela Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), no Projeto Freguesia deste Fim de Semana, no sábado, 15, a partir das 20h, tem o chorinho do grupo Braúna, na Feira de Aratipe, Orla da Atalaia. O trio de instrumentistas que compõem o Braúna uniu-se com a proposta de fazer música instrumental brasileira há cerca de um ano. Mas cada um dos componentes já tem um caminho percorrido no cenário artístico sergipano.

Cruz Nascimento toca bandolim de 10 cordas e compõe os arranjos, Alexandre Leite faz o violão de sete cordas e arranjos, além de Inácio, que é o pandeirista do grupo. Juntos, fazem suas apresentações com chorinhos autorais, além de versões de clássicos da MPB, bossa nova, frevo e até baião, sempre em ritmo de choro. É também nessa linha, que eles estão preparando o primeiro disco a ser lançado no início do próximo ano.

No domingo, 16, desta vez na Feira da praça Tobias Barreto, bairro São José, se apresenta, com sua MPB, a cantora Lena Oliver, às 18h.

Lena Oliver tem 15 anos de palco, atuando como interprete e criando suas próprias canções, a exemplo de "Sereia", "Amo você" e "O olhar da menina", as duas últimas finalistas do Festival Sescanção dos anos 2009 e 2011, respectivamente. Até o fim de 2012, pretende lançar o seu terceiro CD, com músicas autorais e arranjos próprios para composições de outros artistas sergipanos.

Ano passado, Lena  gravou EP com releituras da MPB regional, da mesma forma que em 2005, quando fez o primeiro disco, homenageando Gilberto Gil, Maria Bethânia, o amigo Gil Castro além de outros. Neste domingo, na Feira da praça Tobias Barreto, estará acompanhada do violonista Matheus Carvalho, prometendo uma apresentação bastante musical e performática.

O Projeto Freguesia - A Fundação Municipal de Cultura e Turismo de Aracaju (Funcaju) organiza o Projeto Freguesia como forma de atrair mais visitantes às Feiras Livres de Cultura e Arte Popular, além de abrir espaço para os artistas locais mostrarem seus trabalhos, aos aracajuanos e turistas que visitam nossa capital. As feiras realizadas pela PMA, por meio da Fundação Municipal do Trabalho (Fundat), dão oportunidade para os artesãos exporem e comercializar seu trabalho, além dos quituteiros que oferecem suas comidas típicas.