Artilheiro Tito está deixando o Dragão

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Tito jurou amor eterno ao Confiança, disse que a torcida proletária era a maior do mundo, mas ganhou passe livre na justiça. Foto: Divulgação
Tito jurou amor eterno ao Confiança, disse que a torcida proletária era a maior do mundo, mas ganhou passe livre na justiça. Foto: Divulgação

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 21/11/2017 às 06:25:00

A notícia estourou nos meios esportivos como uma verdadeira bomba, na tarde desta segunda-feira, 20 de novembro. O atacante Tito, que jurou amor eterno ao Confiança, demonstrou ter um forte carisma com a torcida proletária, está deixando o Confiança. E está saindo pela porta dos fundos, em litígio com os dirigentes, através de uma liminar judicial. 

O atleta entrou com uma ação trabalhista na 1ª Vara do Trabalho de Aracaju, do Tribunal Regional do Trabalho - 20ª região, alegando a falta de pagamento por mais de três meses, das cotas do Fundos de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e parcelas do INSS.

Ontem saiu o despacho favorável ao atleta. A Juíza titular, Sílvia Helena Paráboli Martins Maluf, deferiu a antecipação de tutela, para declarar a rescisão indireta do contrato de trabalho do atacante Tito e conceder através de liminar, a liberação do vínculo que ele tem com o Confiança. Ou seja, o jogador está livre para se transferir para qualquer outro clube.

Veja o que diz o despacho judicial:

"Conforme afirmado pelo reclamante por meio da petição vertida através do id. 8eb94f5, o clube não efetivou nenhum depósito na conta vinculada do obreiro, assim como não recolheu as contribuições previdenciárias durante o pacto, uma vez que sequer há registro do pacto no CNIS, conforme documento de id. bdd0606. Assim, tem-se que a mora quanto ao FGTS e às contribuições previdenciárias superam o prazo de três meses previsto no art. 31 citado. Confirmado, portanto, documentalmente, o requisito para rescisão indireta do contrato de trabalho por inadimplência contratual do empregador, torna-se desnecessária a oitiva da parte contrária para a apreciação da tutela requerida. Por tais fundamentos e com amparo nos arts. 300 e 303 do CPC, defiro a antecipação de tutela para declarar a rescisão indireta do contrato de trabalho e, conceder, liminarmente, a liberação do vínculo desportivo com a ASSOCIACAO DESPORTIVA CONFIANCA, ficando o atleta livre para se transferir para qualquer outra agremiação".

O documento assinado pela juíza do trabalho, Silvia Helena Paraboli Martins Maluf finaliza com o seguinte texto: "Intimem-se as partes, sendo o reclamado por oficial de justiça. Oficie-se, da forma mais rápida possível, a Federação Sergipana de Futebol e a Confederação Brasileira de Futebol, com cópia desta decisão, que valerá como atestado liberatório do vínculo desportivo até então mantido com o Reclamado. Após, aguarde-se audiência designada".

No momento, o presidente Hyago França preferiu não se pronunciar sobre a decisão judicial. Mas de Recife, onde se encontra com o diretor de futebol Ernando Rodrigues, na tentativa de captar recursos através de contratos de publicidade, Hyago afirmou que o Confiança não deve um centavo de salário ao jogador, mas preferiu não falar sobre cotas do FGTS e INSS. No entanto, garantiu que nos próximos dias, o clube vai se pronunciar com nota oficial sobre o assunto.

Procurado pela imprensa sergipana, o atacante Tito também preferiu não falar por enquanto, afirmando que só falará sobre o assunto na semana.