Policiais federais em greve recolhem doações de alimentos no Rio de Janeiro

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 15/09/2012 às 12:24:00

Akemi Nitahara
Agência Brasil

Rio de Janeiro - Em greve desde o dia 7 de agosto, escrivães, papiloscopistas e agentes da Polícia Federal (PF) começaram ontem (14) uma campanha para recolher doações de alimentos não perecíveis, roupas e produtos de higiene que serão doados para a Sociedade Viva Cazuza. O posto para coleta fica em frente à sede da superintendência regional, na Praça Mauá, zona portuária do Rio, até quinta-feira (20).
Na semana passada, os policiais fizeram ato no Maracanã. Na terça-feira, a manifestação foi no Cristo Redentor.

O objetivo dos atos é chamar a atenção da sociedade para o movimento, que pede a reestruturação salarial e da carreira, além do reconhecimento das atribuições de nível superior que já são exercidas pelos escrivães, papiloscopistas e agentes da PF. A categoria pede também a equiparação salarial a cargos como auditor da Receita Federal e oficial da Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

De acordo com o porta-voz do Sindicato dos Policiais Federais do Rio de Janeiro, André Luiz Tristão, a negociação orçamentária com o governo encerrou dia 31 de julho, mas a categoria ainda tenta outra forma para que as reivindicações sejam atendidas.

"Houve uma brecha através de medida provisória, que ainda fosse votada na Câmara uma possível nova inserção no orçamento que iria suprir as reivindicações da Polícia Federal", disse. Tristão diz que o diálogo com o Ministério da Justiça continua e que o movimento grevista é pacífico.

Na última quarta-feira, o serviço de inteligência da PF aderiu à greve, paralisando o serviço de escutas telefônicas que investigam crimes como desvios de verbas públicas e contra o sistema financeiro. Neste fim de semana, um helicóptero vai passar na orla do Rio e de Niterói divulgando a campanha SOS Polícia Federal - Reestruturação Já.

Na segunda-feira (17) está marcada uma assembleia geral e o sindicato vai conversar com a imprensa na terça-feira, em uma entrevista coletiva. Na quarta-feira (19), os grevistas fazem ato público em frente ao Copacabana Palace e na quinta-feira será feita a entrega das doações na Sociedade Viva Cazuza. Na próxima sexta-feira, está marcado um ato na delegacia descentralizada de Niterói.

De acordo com o Ministério do Planejamento, todas as negociações referentes a 2013 com categorias em greve já terminaram e os escrivães, papiloscopistas e agentes da PF recusaram a proposta de reajuste de 15,8% escalonado até 2015. As categorias que não assinaram o acordo voltam a negociar no ano que vem, com prazo até agosto de 2013, para reajustes aplicados a partir de 2014.