Apicultores comemoram boa safra em Glória

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 22/11/2017 às 06:48:00

Apicultores de Nossa Senhora da Glória, no Alto Sertão de Sergipe, estão satisfeitos com a safra de mel colhida em 2017. A Associação de Apicultores Glorienses, que realiza o processamento da produção local, já contabiliza cerca de cinco toneladas de mel processadas, e a expectativa dos produtores é chegar a sete toneladas de mel colhidas até o final do ano. A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) investiu R$ 107,2 mil para fortalecer a produção apícola no município.

A entidade possui atualmente 60 apicultores associados, que fornecem o mel para ser processado na casa de mel da associação, agregando valor à produção. Ali estão presentes equipamentos como centrífugas elétricas, decantadores, mesa desoperculadora, descristalizadores e balanças eletrônicas, utilizados no processamento do mel para ser comercializado. Hoje, a associação serve como referência para produtores também de municípios vizinhos, como Monte Alegre de Sergipe, Porto da Folha e Gararu.

O presidente da entidade, José Almir Góes Santos, ressalta a importância dos investimentos realizados pela Codevasf para a atividade apícola na região. “O apoio da Codevasf foi essencial. Sem isso, a gente não chegaria onde chegou. No ano passado, tivemos uma seca constante e muitos enxames foram embora, mas agora há a possibilidade de até o final do ano colhermos até sete toneladas”, explica.

De acordo com dados fornecidos pela Associação de Apicultores Glorienses, o quilograma de mel é atualmente vendido por um preço que costuma variar entre R$ 9,00 e R$ 13,00. Em alguns casos, os apicultores conseguem comercializar sua produção por até R$ 20,00. A produção é comercializada principalmente nos estados de Sergipe e Alagoas.

Um dos associados, o apicultor Clécio Soares, confirma o clima de otimismo entre os produtores locais. “Esse ano estou satisfeito porque já colhi meia tonelada e a previsão é colher uma tonelada. O que me ajudou a ter um bom resultado neste ano foi a migração dos enxames e também a florada abundante, porque esse ano a gente teve muita chuva e a natureza contribuiu”, diz o produtor.