Cachoeira obtém habeas corpus mas continuará preso

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 16/06/2012 às 11:16:00

Débora Zampier
 Agência Brasil

Brasília - O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) informou ontem, por meio da assessoria, que o empresário goiano Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, não pode ser solto. Segundo o MP, segue valendo um mandado de prisão resultante da Operação Saint-Michel, que apurou fraudes na área do transporte público no Distrito Federal.
Preso desde 29 de fevereiro, Cachoeira conseguiu um habeas corpus, ontem, do desembargador Fernando Tourinho Neto, do Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF1). O magistrado entendeu que não há mais motivos para manter o empresário preso devido à Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, que investigou um suposto esquema de corrupção, tráfico de influência e exploração ilegal de jogos no Centro-Oeste.
A Operação Saint-Michel foi iniciada no Distrito Federal, com material apurado na Operação Monte Carlo, quando o grupo de Cachoeira foi investigado por suspeita de fraude na licitação que selecionou o operador do sistema de bilhetagem eletrônica do sistema de transporte coletivo do DF. A operação, do MPDFT e da Polícia Civil do Distrito Federal, foi deflagrada em abril e resultou na prisão do diretor da Delta Construções no Centro-Oeste, Cláudio Abreu, entre outros envolvidos no caso.