Tito assina contrato com Atlético-GO

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 01/12/2017 às 06:16:00

O atacante Tito de 28 anos é o mais novo reforços do Atlético de Goiás, o quarto contratado para a próxima temporada. O Atlético-GO anunciou seu quarto reforço de olho na próxima temporada. O atacante Tito, ex-Confiança, está em Goiânia e até já posou para foto com a camisa do Dragão. O jogador de 28 anos assinou contrato até o fim de 2018.

Tito é de Cuiabá e começou a carreira no clube da cidade. Após rodar por várias equipes, ele viveu em 2017 sua melhor temporada. O atacante disputou 33 jogos e marcou 22 gols, oito deles na Série C, antes de o Confiança ser eliminado pelo campeão São Bento nas quartas de final.

O Atlético-GO já havia procurado Tito. No início de setembro, a diretoria rubro-negra fez proposta pelo atacante, que acabou permanecendo no Confiança. Agora, ao fim da temporada, as conversas foram retomadas e avançaram. O jogador acionou o clube sergipano na Justiça e conseguiu a liberação para assinar com outro time.Tito se junta a outros três contratados pelo Dragão: os volantes Valderrama e Diego Silva, além do atacante Chiquinho.

A informação foi confirmada pelo empresário e pelo atleta na tarde desta quarta-feira. O atacante azulino reconheceu a "tentação em jogar na Série A", mas disse que não era hora para sair: "Foi o clube que me deu as mãos na hora que mais precisei". Agora, com liberdade para negociar com qualquer clube após liminar do Tribunal Regional do Trabalho, o atacante teve uma nova oportunidade e desta vez fechou negócio com o Atlético-GO.

- O Atlético Goianiense nos procurou durante a Série C, mas naquele momento não tinha condições, pois o Confiança precisava muito dele. E agora, após o término do Brasileiro, eles voltaram a procurar Tito e nós entendemos que as condições de trabalho e financeiras eram muito boas. Tentamos entrar em contato com o Confiança inicialmente, através do Tito, mas o clube simplesmente ignorou em ligações e mensagens. Como não foi dada a devida atenção, o único caminho que restou foi acionar na justiça, por insatisfação e problemas trabalhistas, não tem como você passar um ano no clube e não assinarem sua carteira, consequentemente, não fazer depósitos de FGTS e INSS. Só após receber a liminar foi que o clube quis conversar, explicou o empresário Marcelo Bonfim.