Protesto pede pressa na resolução de crime

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 22/12/2017 às 05:33:00

Cerca de 80 integrantes do Movimento SOS Emprego protestaram ontem em frente ao Palácio de Despachos, na Avenida Adélia Franco, para pedir agilidade no processo criminal que investiga as causas e os autores do homicídio sofrido pelo então líder do SOS Emprego, Clodoaldo Santos Melo. De acordo com os manifestantes, é preciso que a Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP/SE) intensifique o monitoramento.

Na semana passada o grupo também já havia promovido outro ato público semelhante quando, diante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), solicitou o apoio da seccional Sergipe. Segundo a militante Elisângela dos Santos, todos seguem de luto pela perda violenta, mas encontram forças para permanecer na luta por justiça. A promessa do Movimento é apenas cessar as mobilizações quando os suspeitos pela prática do homicídio sejam identificados, presos e encaminhado para alguma unidade do sistema prisional. No segundo momento, o SOS Emprego pretende reforçar as pressões durante o julgamento final dos acusados.

"Esperamos que o Governo do Estado cumpra a missão de punir aquele, ou aqueles responsáveis por este crime bárbaro que tanto mexeu com todos nós. Tratava-se de uma pessoa do bem e que trabalhava para melhorar a vida de todos nós. A luta vai continuar até a última instância. Já pedimos o apoio da OAB, agora do governo e logo em breve será do Tribunal de Justiça", declarou. A Prefeitura da Barra dos Coqueiros e a Câmara Municipal da cidade também já foram provocadas pelo grupo. Assim como ocorreu na última terça-feira, 20, durante a manhã de ontem agentes da Polícia Militar e da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT), também estiveram no local acompanhando o movimento.

Clodoaldo Santos, conhecido como: 'Barriga', foi executado a tiros na porta de casa na tarde desta quinta-feira, 14, na Barra dos Coqueiros. O setor de inteligência da SSP pede que, caso alguém possua qualquer informação sobre o crime, estas pessoas devem entrar em contato pelo telefone 181 - Disque Denúncia. O anonimato da denúncia está garantido. (Milton Alves Júnior)