Jackson faz balanço de 2017 e destaca ações para diminuir gastos

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
O governador Jackson Barreto durante a entrevista a Ricardo Marques, na TV Sergipe Foto: Victor Ribeiro/ASN
O governador Jackson Barreto durante a entrevista a Ricardo Marques, na TV Sergipe Foto: Victor Ribeiro/ASN

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 23/12/2017 às 06:43:00

Em entrevista ao SETV 1ª edição, telejornal da TV Sergipe, ontem à tarde, o governador Jackson Barreto falou dos principais investimentos do governo do Estado em Sergipe e das dificuldades enfrentadas em 2017. Um dos principais pontos expostos foi as medidas, anunciadas nesta semana, para a redução de custos do Estado.

“Primeiramente, teremos a redução dos cargos comissionados. Estamos fazendo um levantamento para verificar a situação em cada secretaria e órgão. E, se houver algum excesso, vamos cortar, ficaremos somente com o necessário para o funcionamento da máquina. Já adotamos medidas parecidas em outras ocasiões. Logo no início da minha gestão, reduzimos o número de secretarias e tomamos outras medidas para contenção de gastos, mas a situação está cada vez mais difícil. Precisamos enxugar o necessário para se adequar à realidade de extrema dificuldades”, disse o governador.

 

Queda do FPE - A queda do Fundo de Participação dos Estados (FPE) foi apontada pelo governador como um fator agravante da crise no estado. “Sergipe perdeu R$ 130 milhões este ano. Dezembro sempre foi um mês melhor, mas também houve queda de quase R$ 25 milhões em dezembro. Esses R$ 130 milhões poderiam ter servido para a pagar os aposentados e não precisaríamos atrasar salário. Não é o governo que está criando dificuldades para o servidor, mas a situação da economia do país, assim como vemos no Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e tantos outros. É a pior angústia para mim ter que atrasar salário de servidor, nunca imaginei que passaria por isso e seria governador em meio a tantas dificuldades, mas o estado reflete a situação da economia nacional”.

 

Empréstimo - Outra questão destacada foi o esforço que a gestão estadual está fazendo para conseguir a urgente aprovação da operação de crédito de R$560 milhões, destinada a obras de Infraestrutura e Saneamento. “O projeto foi aprovado pela Caixa, o contrato foi feito. A Secretaria do Tesouro Nacional (STN) disse que o Estado está enxuto e também já aprovou. O governo, porém, está dificultando. Está aguardando aprovação da reforma da Previdência, mas a liberação desse crédito não tem nada a ver com essa reforma. Vale lembrar que o governo de Jackson Barreto não tomou nenhum empréstimo até hoje”, frisou o governador.

 

Saúde - Questionado sobre a saúde no estado, Jackson explicou que as questões relacionadas à saúde avançaram muito. “O Huse recebeu a nova radioterapia, 100 novos leitos criados recentemente. Inauguraremos agora a Maternidade Hildete Batista. O Hospital de Nossa Senhora da Glória vai passar a funcionar com centro cirúrgico, ortopedia e tomógrafo; o governo também vai entregar o Centro Especializado de Reabilitação para pessoas com deficiência; dentre outras ações. Claro que precisamos fazer mais, pois a população precisa e tem direito a mais, porém tudo depende de recursos que não estão chegando”.

 

Secretariado - Jackson garantiu também que está satisfeito com o seu secretariado. “Estou satisfeito com o trabalho geral da maioria dos secretários. No geral, a equipe tem trabalhado muito, mas não podemos exigir milagres porque não temos recursos e sem recursos não é possível fazer tudo que queríamos”.

 

Obras - Apesar das dificuldades, o governador lembrou que o volume de obras em Sergipe, quando comprado a outros estados, é superior ao visto em outros locais do Brasil. “Estamos fazendo muito porque tivemos a capacidade de correr atrás e conquistar contratos e recursos. Estamos  recuperação de rodovias em Pedrinhas, em Graccho Cardoso a Aquidabã, de Porto da Folha a Gararu entre outras. Mas precisamos da liberação dessa operação de crédito par investir mais. Nesse contrato com a Caixa Econômica, praticamente 70% dos recursos são para a recuperação e construção de rodovias. Como a recuperação da rodovia de Itabaiana até Moita Bonita, passando por Campo do Brito, Lagarto, Riachão do Dantas, Tobias Barreto, Poço Verde, Simão Dias, Pinhão; Itabaianinha-Umbaúba e a de Graccho Cardoso-Aquidabã, chegando até a BR-101. Também iremos recuperar a rodovia de Monte Alegre, na direção da Lagoa do Rancho, Lagoa da Volta. O Baixo São Francisco e o Médio Sertão também serão contemplados”, informou.

 

Proinveste - Quanto aos recursos do Proinveste, Jackson afirmou que o Estado está, no momento, pagando a última conta de prestação dos impostos da primeira parcela, recebida no governo de Marcelo Déda. “Temos ainda para aplicar R$ 140 milhões, por exemplo, para a rodovia de Itabaiana, que está andando. Estamos para inaugurar a rodovia de Propriá; fizemos obras do contorno de Itabaianinha, o Centro Administrativo Augusto Franco, em Aracaju; já entregamos a orlinha do São Braz, o calçamento do Marcos Freire e do CalumbI, em Socorro. Só Nossa Senhora do Socorro recebeu mais de R$ 20 milhões do Proinveste”. 

 

Concursos - O chefe do Executivo estadual falou ainda sobre a contribuição que sua gestão está dando ao quadro de servidores do estado. “Prorrogamos a validade do concurso da Polícia Civil. O edital, a princípio, foi para 100, mas já nomeamos cerca de 250 policiais civis, no da Polícia Militar chamamos todos os aprovados. Estamos dando nossa contribuição para renovação do efetivo, mas tudo implica em mais recursos, pois a folha de servidores só cresce. Porém, agora nesse fim de ano, vamos divulgar as datas dos editais dos concursos do próximo ano: Agente Prisional, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros”.

 

Saneamento - Sobre os investimentos em saneamento, o governador informou que os valores investidos já ultrapassam o montante previsto em seu projeto de campanha. “Já ultrapassamos os R$ 80 milhões para que que o maior número de sergipanos tenham acesso à agua e esgotamento. Somente com adutora de Tomar do Geru, Umbaúba e Itabaianinha, foram mais de R$ 70 milhões, na adutora de Aquidabã, R$ 12 milhões, teve também a adutora do Sertão, sem contar as obras menores em outros municípios. Nessa semana conseguimos a liberação de R$ 10 milhões para concluir a obra da adutora de Geru”, relatou.

 

2018 - Por fim, Jackson expôs que a perspectiva é que 2018 seja um ano menos difícil. “Peço a Deus que continue me iluminando e ao povo sergipano, abençoando a todos nós. Que tenhamos um Feliz Natal e uma no de muita paz com menos violência e mais amor ao próximo. Espero que na próxima semana tenha uma nova conversa em Brasília e peço a Deus que esse contrato m seja liberado para que possamos reconstruir as rodovias, porque essa é a esperança do povo sergipano”.