Policiais iniciam fiscalização das rodovias

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
As operações nas rodovias vão até o dia 18 de fevereiro de 2018. Foto: Divulgação
As operações nas rodovias vão até o dia 18 de fevereiro de 2018. Foto: Divulgação

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 23/12/2017 às 06:53:00

Milton Alves Júnior

 

A Polícia Rodoviária Federal deu início na noite de ontem a Operação Integrada Rodovida 2017/2018, diante da perspectiva de conscientizar os condutores automotivos a dirigir com prudência, sempre respeitando o que exige o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), e, consequentemente, minimizar o índice de acidentes se comparado aos anos anteriores. Paralelo à proposta de diminuir os índices de acidentes e salvar vidas, o Governo Federal busca reforçar a operação a fim de reduzir a injeção econômica anual a cidadãos acidentados. Somente no ano passado o gasto alcançou a casa dos 40 bilhões de reais.

Esse ano, a contratação de seguros de Acidentes Pessoais a Passageiros (APP) e Obrigatório de Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres (DPVAT), deve fechar na mesma estatística financeira. Ao contrário dos anos anteriores, a operação se estende de forma ininterrupta entre os festejos natalinos, de réveillon e carnaval, considerada a época de maior fluxo de automóveis nas vias expressas. Unificada, a ação coordenada pela PRF segue até o dia 18 de fevereiro com o apoio da Polícia Militar do Estado de Sergipe, através da Companhia de Polícia de Trânsito (CPTran), e do Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRv).

Segundo levantamento apresentado recentemente pela corporação, os municípios sergipanos com os maiores índices de acidentes são: Aracaju, Nossa Senhora do Socorro, São Cristóvão, Maruim, Rosário do Catete, Itabaiana, Estância e Propriá, e por isso, receberão prioritariamente fiscalização reforçada na operação. A Polícia Rodoviária Federal ressaltou que o foco está nessas localidades, mas não deixará de prestar assistência a outras cidades, mesmo que as mesmas não estejam diretamente nas intermediações das rodovias federais. Combate ao tráfico de entorpecentes, exploração infantil, embriaguez ao volante, porte ilegal de armas e demais atos inconstitucionais também estão sendo investigados.