DricaMoraes está animada com novela

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 19/09/2012 às 02:57:00

"Faltava fazer uma novela para me sentir inteira de novo", revela Drica Moraes. A atriz retorna ao batente e está pronta para sua personagem em Guerra dos Sexos, a mãezona Nieta. Ela afirma que voltar à televisão lhe dá muita garra: "Trabalho é uma parte da gente muito importante. Fazer uma novela me afirma novamente como profissional".

Realizada com a sua personagem, Drica confessa que abriu mão da vaidade para mergulhar no universo de Nieta. "Eu tenho muito prazer em atuar e esse personagem, em especial, é curioso porque coloco peruca, peito, bumbum e ombreira falsos. As roupas também são largas, acho isso uma viagem maravilhosa". Ela descreve Nieta como a mãe de todos, o coração da Vila em que mora na Mooca. Que, além de ter uma generosidade e um coração enorme, tem ressentimento de ter casado com um homem pobre e sua irmã, Roberta (Gloria Pires), ter se dado bem com um marido rico. "Ela tem um casamento de anos que ela reclama, reclama, reclama... mas está ali, junto, como muitos casamentos assim que eu conheço, de muitos anos, pessoas que lutam pela família, tradição, propriedade," diz.

A carioca da gema conta que está trabalhando no sotaque para criar o que, ela mesma chama, sua própria "moquense". "Faço um sotaque da Mooca, do meu jeito, não com muita preocupação, vou buscando a minha personagem. Ela não é perfeita, mas é a minha moquense."

Quanto ao feminismo, Drica garante que fica feliz ao ver uma mulher se impor e lamenta as mulheres ainda serem maltratadas em alguns países. "A mulher já caminhou muito, a minha geração já pegou a trilha muito aberta. A mulher sabe sofrer, aguenta. Vibro quando a mulher não leva desaforo para casa."

Falta pouquinho, hein?! Começou a contagem regressiva, escolha seu time e organize a torcida. Guerra dos Sexos, obra de Silvio de Abreu, tem estreia prevista para outubro e direção geral e de núcleo de Jorge Fernando, direção de Ary Coslov, Marcelo Zambelli e Ana Paula Guimarães.