Interligação das Avenidas Rio de Janeiro e Gasoduto: acesso à nova alça do viaduto está sendo construído

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A obra foi iniciada há dois dias e consiste no estreitamento da pista de rolamento, próximo a passarela de pedestres. Foto: Divulgação
A obra foi iniciada há dois dias e consiste no estreitamento da pista de rolamento, próximo a passarela de pedestres. Foto: Divulgação

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 03/01/2018 às 05:49:00

A cada semana, uma das mais importantes obras de mobilidade urbana já executada na capital avança no cronograma e ganha novas dimensões. O governo de Sergipe, por meio da Secretaria de Estado da Infraestrutura e do Desenvolvimento Urbano (Seinfra) em parceria com o Departamento Estadual da Infraestrutura e do Desenvolvimento Urbano (DER/SE), está construindo o acesso à nova alça do viaduto do Detran, na Avenida Tancredo Neves.

Iniciada no último dia 26, a obra consiste no estreitamento da pista de rolamento, próximo à passarela de pedestres, cujo objetivo é ampliar o acesso para interligar a Avenida Tancredo Neves até a nova alça do viaduto, que por sua vez fará junção com o prolongamento da Avenida Rio de Janeiro, onde será o ponto inicial da interligação com a Avenida Gasoduto.

Segundo o secretário de Estado da Infraestrutura, Valmor Barbosa, os serviços não estão comprometendo o tráfego. “O estreitamento afetará apenas aos condutores que saem do Conjunto Sol Nascente pela Avenida farmacêutica Cezartina Régis em direção à Avenida Tancredo Neves nas proximidades da passarela de pedestres, e, por ser um trecho curto, colocamos as telas de isolamento após o ponto de ônibus a fim de não prejudicar os usuários do transporte público. Além disso, para orientar os condutores, a SMTT de Aracaju está contribuindo com o suporte logístico e instalou placas de sinalização eletrônica e disponibilizou dois agentes de trânsito no local diariamente”, declara.

Valmor Barbosa acrescenta que a interrupção será por poucas semanas. “Os profissionais já retiraram o material ruim e executaram o serviço de terraplenagem. Nos próximos dias, aplicarão as camadas de base e sub-base e, posteriormente, a compactação, de modo que, no prazo de 20 dias, os trabalhos estarão concluídos”.