Entrada de fuzil em camarote será investigada

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A SSP abriu inquérito para saber de quem era o fuzil de uso restrito. Sandoval Siqueira/Fan FM
A SSP abriu inquérito para saber de quem era o fuzil de uso restrito. Sandoval Siqueira/Fan FM

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 09/01/2018 às 05:54:00

Gabriel Damásio

 

A Corregedoria da Polícia Civil e a Delegacia de Polícia de Laranjeiras (Vale do Cotinguiba) vão abrir inquéritos para apurar o uso de um fuzil dentro de um camarote do 43º Encontro Cultural de Laranjeiras, ocorrido neste final de semana. Segundo informações, a arma seria um ST calibre 556, de uso exclusivo da Secretaria da Segurança Pública (SSP), mas estava nas mãos de um homem que fazia a segurança do camarote, durante os shows da noite deste domingo. A cena foi registrada em uma foto divulgada ontem pelo site da rádio Fan FM.

O homem armado aparece vestido com camiseta de gola e calça jeans, segurando a arma com uma das mãos segurada pelo pulso com a outra. Consultores de segurança ouvidos pelo JORNAL DO DIA alertam que um eventual disparo da arma poderia causar uma tragédia no evento e que o porte dela por seguranças particulares é proibido por lei, com possibilidade de prisão em flagrante dos responsáveis e abertura de processo por crime de porte ilegal de arma de uso restrito, que é inafiançável.

Em nota, a SSP informou que o policiamento interno da área do Encontro Cultural “foi de responsabilidade de uma empresa de segurança privada contratada pela Prefeitura de Laranjeiras” e que o trabalho de policiamento na área periférica da festa ficou com a Polícia Militar. O órgão ressaltou que nenhum policial foi escalado ou autorizado a trabalhar dentro do circuito da festa. “É importante ressaltar que, caso fique constatado algum fato criminoso, será apurado pela Polícia Civil, neste caso, pela delegacia de polícia local”, informou. A Corregedoria, por sua vez, deve apurar se a metralhadora é de propriedade da SSP e quem foi o policial responsável por cedê-la ao suposto segurança. Ainda de acordo com a secretaria, nenhum

Por sua parte, o prefeito de Laranjeiras, Paulo Hagenbeck, disse ontem que o homem visto com a arma era acompanhante de um policial civil, que teria ido ao camarote para usar o banheiro e deixado o local em poucos minutos. Disse também que o incidente não tem nenhuma relação com a gestão municipal e nem com a empresa terceirizada, devendo ser esclarecido pela SSP. A Prefeitura local informou que 40 seguranças foram contratados para fazer a segurança interna dos shows do Encontro Cultural e nenhum deles usava armas de fogo, mas apenas cassetetes.