SSP não sabe se homem com arma de uso restrito em camarote é policial

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 10/01/2018 às 05:27:00

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) ainda não tem clareza sobre a identificação do homem que foi encontrado com um fuzil dentro de um camarote do Encontro Cultural de Laranjeiras, neste domingo, em Laranjeiras (Vale do Cotinguiba). O homem foi visto se postando como um dos seguranças particulares que atuavam na festa, mas segurando a arma de calibre e uso exclusivo da polícia. Um inquérito foi aberto pela Corregedoria da Polícia Civil, que já ouviu pelo menos seis depoimentos sobre o episódio. Ontem, foram divulgadas nas redes sociais novas fotos do mesmo homem armado, posando com outros colegas e usando um colete de agente da Polícia Civil, além de ficar com o fuzil a tiracolo.

A delegada Érika Farias Magalhães, responsável pelo caso, disse que as fotos e vídeos relacionados ao flagrante estão sendo examinadas para identificar quem é o homem armado, se ele é ou não um policial civile o registro do fuzil registrado nas imagens. “Todas as diligências necessárias serão realizadas no decorrer da semana. Precisamos saber se existe a participação de policial civil ou não. E precisamos identificar essa pessoa. No momento, eu não posso adiantar nada. Entendo que é bastante prematuro falar, porque afinal de contas demos início as investigações ontem”, disse a corregedora.

Se ficar constatado que o homem é um agente de polícia, ele poderá ser submetido a um processo disciplinar administrativo, pois, de acordo com o Sindicato dos Policiais Civis de Sergipe (Sinpol), ele não poderia estar trabalhando em um evento particular. Em caso de o suspeito não ser policial, ele pode ser processado criminalmente pelos crimes de usurpação de função pública e porte ilegal de arma de uso restrito. O servidor responsável por ceder a arma também poderá responder a processos criminal e administrativo. Não há prazo definido para a conclusão das investigações.