Guardas municipais protestam na capital

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 12/01/2018 às 06:40:00

Se queixando de sucessivos atrasos no repasse do vale alimentação e de perdas reais no salário mensal de 107 servidores, agentes da Guarda Municipal de Aracaju se reuniram na manhã de ontem em nova rodada de manifestações promovidas em frente ao Centro Administrativo Aloísio Campos, sede do poder executivo municipal. A proposta da categoria era se reunir com o prefeito Edvaldo Nogueira e buscar soluções para o pleito. Sem sucesso, a classe trabalhadora ameaça suspender as atividades em até 70% já a partir do próximo dia primeiro de fevereiro. Caso a ameaça se concretize, a perspectiva é que cerca de 350 profissionais cruzem os braços por tempo indeterminado.

Durante o ato público outras queixas foram apresentadas. De acordo com o presidente do Sindicato dos Guardas Municipais (Sigma), Éder Rodrigues, paralelo às perdas salariais e atrasos de até 30 dias nos tickets, é preciso que a Prefeitura de Aracaju promova de imediato melhorias estruturais nos postos de atuação dos agentes, renovação dos veículos e contratação de novos agentes por meio de concurso público. Caso as solicitações não sejam atendidas, ou, ao menos, debatidas com caráter progressista, a direção sindical deseja promover assembleia extraordinária até o próximo dia 30, e debater junto aos filiados a possibilidade de greve.

Segundo o representante legal da categoria, essa proposta tem sido apresentada como medida de última instância, já que o desejo dos sindicalistas é conquistar os benefícios sem apelar para o direito constitucional de greve. "Apesar disso o que percebemos é que o prefeito sequer nos atende para conversar. Nessa manifestação, por exemplo, fomos atendidos pelo diretor, subinspetor Fernando Mendonça, e pelo secretário, Luís Fernando", lamentou. Sem desmerecer a importância dos gestores, o sindicalista acredita que um encontro juntamente ao prefeito e a vice-prefeita, Eliane Aquino, poderia resultar em avanços significativos.

"Fomos atendidos pelos representantes do prefeito, mas o que percebemos é que saímos da reunião sem identificar nenhuma mudança que pudesse gerar em melhorias para os guardas municipais, ou seja, dessa reunião não conseguimos tirar nada de novidade. Precisamos conversar com o prefeito, solucionar as dificuldades e qualificar nossa guarda", disse.

Por meio de nota a prefeitura informou que o valor do auxílio refeição, referente ao mês de dezembro, já foi pago e toda a situação do benefício estará regularizada na segunda quinzena deste mês. Com relação à situação das viaturas, cabe esclarecer que elas são locadas,  competindo à empresa prestadora do serviço a manutenção dos veículos.

A PMA informou que, com base no planejamento estratégico, está previsto um reforço com mais 18 novos veículos. "Esperamos de fato que as promessas sejam cumpridas e que a Guarda Municipal de Aracaju volte a ser avaliada pela administração pública como setor fundamental para população. Aguardamos o diálogo com Edvaldo", pontuou Éder Rodrigues. (Milton Alves Júnior)