Detento comandava assaltos a bancos em Sergipe de um presídio na Bahia

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Armamentos pesados e explosivos doram apreendidos na operação. Foto: Divulgação/SSP
Armamentos pesados e explosivos doram apreendidos na operação. Foto: Divulgação/SSP

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 13/01/2018 às 06:58:00

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) apresentou ontem os detalhes da operação deflagrada entre quarta e quinta-feira nas cidades de Tobias Barreto (Centro-Sul), Itabaianinha (Sul) e Adustina (BA), onde policiais civis e militares desbarataram uma quadrilha que assaltou pelo menos sete agências bancárias em municípios da região. A ação envolveu equipes do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), da Divisão de Inteligência (Dipol) e do 11º Batalhão de Polícia Militar (11º BPM).

Ao todo, oito pessoas foram presas: André Carvalho Ribeiro, 32 anos; Adson Correia Santa Rosa, 31; Washington Farias Rodrigues, 34; Gilberto Júnior Ribeiro de Oliveira, 22 (filho do presidente da Câmara de Vereadores de Adustina); Marques de Carvalho Neves, 21; Lucas Andrade Oliveira, 21;Jaine Vieira de Andrade, 22; e José Raimundo de Oliveira, 20. A polícia identificou ainda outros dois participantes. Um deles, apontado como líder do grupo, é o detento Ubirajara Pedro da Silva,o ‘Bira’, 42, que, segundo as investigações, organizava as ações criminosas de dentro de um presídio no interior da Bahia. Além de ‘Bira’, lucas também é apontado como líder do grupo.

Inicialmente, a polícia prendeu os acusados Marques, Gilberto, André e Lucas no município de Alagoinhas (BA), quando eles saíram de Adustina e seguiam em direção à capital Salvador. As outras prisões ocorreram em Adustina, Itabaianinha e Tobias Barreto. O décimo investigado do caso é Paulo César Santos Santana, 35 anos, que morreu em confronto com policiais militares em Tobias. Contra ele havia três mandados de prisão em aberto, sendo um pelo cometimento de homicídio a um policial militar ocorrido em Petrolina/PE, no ano de 2015.

O delegado DernivalEloi, diretor do Cope, explica que o grupo cometeu dois assaltos a agências bancárias em Sergipe, sendo o primeiro caso registrado no dia 4 de setembro, na cidade de Macambira; e a segunda ação delituosa no dia 7 de outubro, em Itabaianinha. Os demais crimes foram registrados nas cidades baianas de Paripiranga, Araci, Coronel João Sá, Sítio do Quinto e Adustina, onde reside a maior parte dos integrantes.

"Quando ocorreu a explosão no município de Itabaianinha colocamos todo nosso efetivo empenhado nisso inclusive a Divisão de Inteligência, durante as investigações conseguimos comprovar a ocorrência de mais uma explosão aqui no estado de Sergipe que foi no município de Itabaianinha e outras cinco explosões que ocorreram no Estado da Bahia", afirmou o delegado, ao contar que os criminosos conseguiam se locomover sem dificuldades no momento da fuga. "Eles conseguiam uma pessoa da localidade de onde eles iriam explodir o banco, procurando um nativo para estudar as rotas de fuga e saber o abastecimento do cash já que não interessa investir contra o banco caso o banco não tenha dinheiro", declarou.

A Polícia apreendeu também armamento pesado (a exemplo de um fuzil AR15 calibre 556 e uma AK47 calibre 762, de fabricação russa), explosivos (banana dinamite, espoletas e cordel detonante), veículos (dois automóveis e duas motocicletas) e a quantia de R$ 32 mil, proveniente das ações delituosas do grupo. Apenas Ubirajara, um dos líderes do grupo e que atuava de dentro do presídio na Bahia, tem antecedentes criminais. A Polícia Civil de Sergipe continuará em contato com a Polícia da Bahia, com o intuito de obter informações que levem a outros possíveis envolvidos na associação criminosa.