Funcionários do cirurgia ainda parados

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 24/01/2018 às 06:11:00

Centenas de servidores da Fundação Beneficente Hospital de Cirurgia seguem criticando a administração hospitalar pelo atraso no pagamento salarial referente ao mês de dezembro, bem como a não quitação da segunda parcela da gratificação natalina, vencida desde o dia 20 de dezembro. De acordo com a classe trabalhadora, todos os serviços ofertados aos usuários do Sistema Único de Saúde só serão retomados mediante a quitação dos débitos. Na manhã de ontem um grupo voltou a se aglomerar em frente à entrada principal da unidade hospitalar a fim de reforçar a campanha unificada pelo pagamento dos débitos. O ato seguiu até o final da tarde.

Segundo informações oficializadas pelo presidente da Associação dos Amigos e Funcionários do Hospital de Cirurgia, José Cícero, atualmente a manifestação realizada de forma intercalada, conta com o apoio de aproximadamente 1.200 profissionais; número este, inclusive, correspondente ao índice de funcionários com os vencimentos atrasados. O representante das categorias alegou ainda que a pendência financeira protagonizado pelo HC tem gerado inúmeros problemas econômicos às famílias dos servidores. Como forma de seguir pressionando as administrações públicas e filantrópica, a greve segue por tempo indeterminado.

"Infelizmente esse tipo de atraso prejudica demais dezenas de famílias que não estavam preparadas para esse desrespeito para com o cidadão trabalhador. Estamos trabalhando para não prejudicar as pessoas que dependem de cirurgias, até porque elas não têm culpa da situação é precisam de amparo, mas muitas outras demandas estão totalmente comprometidas é assim seguirá até que os valores sejam depositados", declarou. A direção do Hospital de Cirurgia não se pronunciou oficialmente sobre o ato, tampouco sobre as pendências geradas pela greve. A informação repassada destaca apenas que segue disponível a dialogar com os representantes dos trabalhadores.

Durante a tarde de ontem o Governo do Estado de Sergipe informou que, a fim de suspender a greve e minimizar os efeitos negativos sentidos pelos usuários do Sistema, a Secretaria de Estado da Saúde promoveu um repasse adiantado no valor de cinco milhões de reais. Conforme contabilidade da SES e do HC, esse valor é suficiente para quitarmos débitos e solucionar os problemas acusados aos trabalhadores. Como o repasse foi protocolado na manhã de ontem, a perspectiva é que o dinheiro seja repassado aos cofres do HC, e em seguida seja devidamente transferido para os funcionários. Apesar da notícia satisfatória, Cícero garante permanência da greve.

"Felizmente fomos agraciados com essa postura do secretário Almeida Lima, mas como havia sido deliberado em assembleia geral, a greve dos servidores continua até que todos percebam em suas contas o depósito integral dos valores. Garantimos que assim que isso ocorrer a paralisação chega ao fim de imediato", informou. (Milton Alves Júnior)