Carreta tecnológica informativa sobre Aedes aegypti estaciona em Aracaju

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto


Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 27/01/2018 às 06:54:00

Até este domingo (28), a Praça do Mercado Albano Franco de Aracajú recebe uma novidade tecnológica com viés educativo: o Caminhão do Mosquito do Ministério da Saúde. O projeto procura orientar a população nordestina sobre o combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya através de softwares gratuitos que prometem despertar a conscientização da população. O município é apenas um dos locais em que o Circuito Interativo de Combate ao Mosquito irá fazer sua parada.

De acordo com o Ministério da Saúde, 2/3 dos criadouros do mosquito estão em domicílios. Com números como estes, a região Nordeste foi classificada no último ano de pesquisa publicada com quase 20% dos seus municípios em estado de risco. Mais 43% estão em alerta, e apenas 36% em situação satisfatória.

A solução para isso é a informação, segundo os desenvolvedores responsáveis pelo projeto inédito, que vai embarcar moradores das cidades incluídas no roteiro para entregar informação e saúde dentro da carreta de um caminhão. "É preciso incluir tecnologia na educação, para transformar a informação mais rápida e direta", defende Alvaro Maciel, diretor de relacionamento da Formiga Design, agência responsável pelo projeto.

A primeira etapa do Circuito é a Casa Cenográfica, onde mensagens educativas e baseadas em histórias e relatos verdadeiros aparecem sobre uma tela de LED. Em seguida, para saber sobre os sintomas e o tratamento das doenças transmitidas pelo Aedes, serão disponibilizadas informações em três telas touch screen. Já o terceiro ambiente é uma tela com foto touch, onde a pessoa registra sua participação no Circuito e pode enviar a imagem por e-mail.

Mais adiante, um tapete interativo vai possibilitar que o morador da região se depare com focos de mosquito na área da casa fictícia projetada no painel. É possível ver os locais de potencial criadouro do inseto, além de espaços e objetos já usados pelo mosquito em sua reprodução, e saber como eliminar esses perigos. Depois disso, as pessoas terão a experiência de, por meio de uma projeção interativa, eliminar com as mãos ou uma raquete alguns mosquitos voando bem à sua frente.

A tecnologia para todas as soluções foi concebida do zero em Brasília pelas mãos de desenvolvedores da Formiga Design. O projeto nasceu há mais de dois anos, mas, há cerca de 30 dias, esteve nas mãos de mais de 50 profissionais para deixar tudo pronto antes de seguir para as três capitais brasileiras. A próxima parada da carreta será em Aracaju (26, 27 e 28 de janeiro) e em seguida Recife (02, 03 e 04 de fevereiro), retornando à Brasília, completando mais de 4.300km rodados Brasil afora.