Polícia encontra corpo de mulher que estava desaparecida em São Cristóvão

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Erislayne Morais da Conceição tinha 28 anos. Foto: Divulgação
Erislayne Morais da Conceição tinha 28 anos. Foto: Divulgação

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 01/02/2018 às 06:26:00

Gabriel Damásio

 

A polícia encontrou na manhã de ontem o corpo de Erislayne Morais da Conceição, 28 anos, a ‘Nane’, que estava desaparecida desde o dia 23 de dezembro do ano passado. O cadáver foi achado em uma área de mata fechada no povoado Barreiro, em São Cristóvão (Grande Aracaju), próximo à sede do Sergipe Parque Tecnológico (Sergipetec). As buscas envolveram policiais do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), cães farejadores e soldados do Corpo de Bombeiros, que ajudaram no resgate do corpo. A mãe de ‘Nane’ acompanhou as buscas e ficou bastante abalada após a confirmação da morte de sua filha.

O ex-namorado Josewaldo da Silva Oliveira, o "Índio", 23 anos, confessou ter matado a ex-namorada. Segundo o delegado Mário de Carvalho Leony, responsável pelo caso no DHPP, ‘Índio’ está preso desde o dia 16 de janeiro, mas só agora decidiu colaborar com as investigações e, em depoimento, indicou o local exato onde teria enterrado Erislayne.“Ele alegou que fez tudo sozinho, mas nós não descartamos a possibilidade de outras pessoas estarem envolvidas. Ele nos disse que a levou para o matagal, esfaqueou, depois foi buscar uma enxada para enterrar o corpo da ex-namorada”, explicou Mário Leony.

Ainda em seu depoimento, o acusado alegou ter matado ‘Nane’ porque ela estaria planejando a morte dele, mas os familiares da vítima atestam que ele, na verdade, cometeu o crime porque não aceitava o fim do relacionamento e chegava a fazer ameaças contra ela. Durante as investigações, Josewaldo negava o crime, mas segundo a polícia, caiu em algumas contradições e foi visto em posse do celular da ex-namorada, além de ter sido a última pessoa vista na companhia de Eryslane enquanto ela ainda estava com vida. Outros indícios apontam que na tentativa de reatar o relacionamento, ‘Índio’ tentou convencer a vítima a ir morar com ele em uma casa alugada no Povoado Várzea Grande, em São Cristóvão, mas o pedido foi negado.

Em 16 de janeiro, o DHPP cumpriu o mandado de prisão temporária contra Josewaldo, que já era suspeito de assassinar e ocultar o corpo da ex-namorada. Os investigadores querem esclarecer agora como ‘Nane’ foi atraída pelo ex-namorado até o local onde morreu. O delegado Mário Leony confirmou que vai pedir a prisão preventiva do acusado e indiciá-lo pelo crime de feminicídio (quando a mulher é assassinada por motivação machista). ‘Índio’ já tinha passagem pela polícia pelos crimes de roubo majorado e, enquanto adolescente, foi apreendido em posse de arma de fogo.