SSP descarta qualquer motivação política no assassinato de pastor

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 03/02/2018 às 09:32:00

O pastor evangélico Manoel Messias Andrade Santos, 40 anos, foi assassinado a tiros no fim da noite de anteontem, em frente à Igreja Pentecostal dos Filhos de Deus, no centro de Capela (Vale do Cotinguiba). De acordo com informações do 9º Batalhão da Polícia Militar (9º BPM), ele tinha acabado de presidir um culto e conversava com os fiéis na saída, quando foi abordado por dois homens armados que chegaram ao local em uma moto. A princípio, um dos bandidos chegou a anunciar um assalto, mas disparou oito tiros contra Manoel, matando-o na hora. Em seguida, a dupla fugiu sem levar nenhum objeto da vítima.

Surpresos, os fiéis prestaram socorro ao pastor e o levaram ao Hospital São Pedro de Alcântara, em Capela. Ali, Manoel não resistiu e morreu no antes de ser transferido para a capital. Policiais militares isolaram o local do crime até a chegada de peritos do Instituto de Criminalística, que coletaram vestígios e materiais deixados no local. Um boletim de ocorrência foi prestado pelo irmão da vítima.

O caso já começou a ser investigado pela Delegacia de Capela, que ouviu ontem os depoimentos de familiares e de testemunhas. Até o momento, o delegado Ataíde Alves de Menezes descartou a possibilidade de que a morte esteja ligada à atuação política do pastor, mesmo tendo circulado uma gravação nas redes sociais, na qual o pastor ameaçaria fazer denúncias sobre uma ex-candidata que disputou as eleições passadas na cidade.

Por meio da Secretaria de Segurança Pública (SSP), Ataíde diz que existe uma linha de investigação definida, mas que não pode ser revelada no momento, para não atrapalhar a apuração. Até o momento, nenhum suspeito foi identificado.