SSP apura causas de acidente com morte na Tancredo Neves

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 03/02/2018 às 10:13:00

Em até 30 dias úteis a Secretaria de Estado da Segurança Pública espera apresentar as causas reais que contribuíram para o trágico acidente registrado na noite da última quinta-feira, 01, na Avenida Presidente Tancredo Neves, em Aracaju. Esses estudos foram iniciados logo após o sinistro, por volta das 23h10, através de peritos os quais fazem parte da Delegacia de Delitos de Trânsito. Neste primeiro momento, segundo análise da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito, as suspeitas giram em torno da alta velocidade atingida pelo condutor, Dasley Allan Lisboa, de 27 anos; no momento do primeiro representativo impacto os ponteiros do velocímetro marcavam pouco acima da casa dos 150 km/h.

Após supostamente ter perdido o controle total do automóvel, o motorista teria colidido com uma árvore, capotado, invadido a pista inversa e atingido de forma frontal um veículo que seguia no sentido contrário. Com o impacto Dasley Allan faleceu no local e outras três pessoas, ocupantes do veículo atingido, foram socorridas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), e encaminhados para o setor de traumas do Hospital de Urgência de Sergipe (Huse). Na manhã de ontem dois pacientes receberam alta médica; uma quarta vítima do sexo feminino segue em observação e internada na ala verde. O quadro clínico é considerado estável.

Em parceria com a SMTT, a Polícia Militar do Estado de Sergipe deve analisar imagens das intermediações do acidente a fim de investigar se Dasley participava de rachas irregulares e promovidas em uma via expressa onde a velocidade máxima é de 60 km/h. Paralelo a essas suspeitas, informações disponíveis no portal de notícias do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe indicam que o condutor já respondeu processo por delito de trânsito após se envolver em um acidente provocado por ele mesmo em abril do ano passado. Todas essas informações serão catalogadas e incluídas no processo que investiga a fatalidade. (Milton Alves Júnior)