Lançada a Campanha da Fraternidade 2018

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 09/02/2018 às 10:40:00

Milton Alves Júnior

Com a proposta de promover a cultura da paz, a Arquidiocese de Sergipe apresentou na manhã de ontem a programação oficial da Campanha da Fraternidade 2018. Entre os próximos dias 14 de fevereiro e 25 de março a comunidade católica no Estado estará promovendo sucessivas missas as quais serão revertidas para a ação. Paralelo às igrejas, as doações alusivas à atividade social também podem ser entregues diretamente na sede da Cúria Metropolitana de Aracaju, centro da cidade. Diante do tema: "Fraternidade e Superação da Violência", a campanha pretende contribuir por uma melhor reconciliação entre os povos e perante a justiça.
Se mostrando preocupado quanto ao cenário negativo enfrentado pela humanidade, sobretudo pelos mais de 210 milhões de brasileiros, o arcebispo Dom João Costa espera que todas as comunidades católicas se apropriem da missão desta campanha e ajudem a disseminar a cultura do amor e respeito múltiplo. Paralelo ao desejo de fortalecer as bases familiares, a Arquidiocese trabalha para contribuir diretamente pelo fim da violência que assola os 75 municípios sergipanos. Para que os objetivos sejam alcançados com o mais absoluto sucesso, Dom João torce para que as mudanças comportamentais e espirituais comecem de imediato, antes mesmo da quarta-feira de cinzas.
Ele garante que, independentemente da ligação religiosa, essa campanha serve para a sociedade em geral. "Estamos nos aparando nessa campanha como forma de promover um apelo geral, unificado em Sergipe, no Brasil e no Mundo. É de se assustar e lamentar o índice de violência o qual nos deparamos diariamente, em especial a serie de brutalidade sofrida pelas mulheres e pelos jovens negros. Esperamos que todos os sergipanos se unam a essa campanha e nos ajudem a propagar o desejo de paz e amor. Abraçando a campanha todos nós retemos pela frente dias melhores", avaliou. O pedido foi estendido aos gestores públicos.
De acordo com o arcebispo, é preciso que as organizações estatais busquem qualificar as políticas públicas como forma de injetar mais ações benéficas junto às comunidades. Ele acredita que propagando essas ações será possível minimizar os índices de violência, gerar oportunidades às crianças, adolescentes e jovens, bem como oportunizar progresso a todos. Sem citar nomes, Dom João Costa disse acreditar no senso humanista dos chefes dos poderes executivos municipais e estadual, como também de parte dos auxiliares diretos, os quais, muitas vezes, são responsáveis, também, em projetar e definir o futuro de Sergipe. Basta seguir os anseios do povo, garante o arcebispo.
 "A Campanha da Fraternidade 2018 é a voz da comunidade em geral. Sabemos que em nosso Estado possuímos gestores maravilhosos, verdadeiramente compromissados com o povo, mas para mudar aquilo que nos gera medo é preciso agir. Estamos fazendo a nossa parte e esperamos conquistar avanços mais significativos que nos anos anteriores. Contamos com o apoio integral de todos", pontuou. Sobre as doações ofertadas, a coordenação da campanha informou que tudo será revertido em projetos regionais e nacionais para a sociedade.