Subtenente da PM é preso por ameaçar caixa de loja

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto

Publicada em 21/02/2018 às 00:22:00

Gabriel Damásio

Um subtenente re-formado da Polícia Militar foi detido no último final de semana e levado para o Presídio Militar (Presmil), após se envolver em uma confusão em um posto de gasolina na Avenida Tancredo Neves, bairro Jabotiana (zona oeste). O militar, identificado como Hilton Santos, foi denunciado por funcionários do posto após sacar uma pistola contra uma funcionária da loja de conveniência. Na ocasião, ela também teria sido ameaçada e ofendida com xingamentos de cunho sexual. O subtenente foi preso em flagrante por um oficial de patente superior e autuado por embriaguez ao volante.

O incidente foi registrado por uma câmera de segurança do posto, cujas imagens foram divulgadas pela empresa responsável. Elas mostram o momento em que o policial reformado entra no posto, segura a atendente do caixa pelos ombros e passa a mão na cintura por várias vezes, enquanto discute com o rosto próximo a ela. Em seguida, ele saca a pistola, mas não chega a apontar contra a caixa. Em seguida, visivelmente nervosa, ela entra na área interna da loja e chama a Polícia Militar. No boletim de ocorrência, a atendente relatou que o acusado tinha sinais de embriaguez.

Segundo o chefe de relações-públicas da PM, major Marco Carvalho, o subtenente Hilton se envolveu inicialmente em um acidente de trânsito na Tancredo Neves. Em seguida, depois de discutir com os envolvidos no acidente, e entrou na loja para aguardar a chegada de uma equipe da Companhia de Polícia de Trânsito (CPTran). Segundo o major, que teve acesso às imagens, a funcionária "se sentiu constrangida por esse polícia, não só pela manipulação do armamento, mas pelo próprio comportamento dele diante dela". Ainda de acordo com o porta-voz, o oficial reformado se recusou a fazer o teste do bafômetro e foi levado para a Delegacia Plantonista Sul.

Apesar de autuado com base na Lei Seca, por causa dos sinais de embriaguez, o incidente com a funcionária é tratado como denúncia de 'importunação ofensiva ao pudor' e vai motivar a abertura de um processo disciplinar na Corregedoria da PM. A atendente do posto já se apresentou no Quartel Central da PM e prestou depoimento na Ouvidoria da corporação, onde confirmou os fatos relatados no vídeo e no boletim de ocorrência. Funcionários e o gerente do posto também devem ser ouvidos.
O subtenente, por sua vez, foi encaminhado ao Presmil após ser autuado na delegacia e aguarda o julgamento de um pedido de habeas-corpus impetrado por seus advogados. O caso também é apurado também pela Delegacia de Delitos de Trânsito, para onde foi encaminhado o registro do acidente de trânsito.