Prefeitura realiza atendimento médico aos moradores de rua de Aracaju

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
A depender dos resultados dos testes, a equipe avalia a continuidade do tratamento
A depender dos resultados dos testes, a equipe avalia a continuidade do tratamento

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 25/02/2018 às 19:46:00

"Trabalhar no Consultório na Rua faz muito sentido para mim, eu acredito na proposta e sei que existe a necessidade de atender as pessoas em situação de rua porque eles não são vistos como sujeitos de direito pela maioria das pessoas. O meu trabalho garante saúde e dignidade", disse, emocionada, a psicóloga com especialização em álcool e drogas, Ellen Freire, que trabalha há dois anos no programa.
Implantado em junho de 2015 na capital, o Consultório na Rua é um programa nacional do Ministério da Saúde, instituído pela Rede de Atenção Básica e realizado pela Prefeitura de Aracaju, através da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), que tem por objetivo dar assistência médica para pessoas que vivem em situação de rua. O programa possui uma equipe composta por sete profissionais, com médico, enfermeiro, assistente social, psicólogo, auxiliares de enfermagem e agente redutor de danos, que atendem todos os bairros da capital, de segunda à sexta-feira, nos horários de 7h às 13h e das 13h às 19h, e também todas as quartas-feiras, das 19h às 22h, realizando o atendimento noturno.
Através desses profissionais, são realizados procedimentos como curativos, limpeza de ferimentos, aferição da pressão arterial e testes rápidos de Glicemia, HIV, Sífilis, Hepatite B e C, além da distribuição de medicamentos e preservativos. De acordo com a coordenadora do programa, Kamila Fialho, "os principais agravos encontrados são as Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), transtornos mentais, tuberculose, doenças osteomusculares, hepatopatias e herniações". Em alguns casos, as pessoas também podem ser encaminhadas para tratamentos. "A equipe realiza os testes e o Consultório na Rua oferece um médico para fazer os atendimentos. Caso haja necessidade, encaminhamos as pessoas às Unidades Básicas de Saúde", explica.
 No total, existem 217 prontuários de moradores que participam do programa. No último quadrimestre, o Consultório na Rua obteve uma média de 820 acessos entre atendimentos e acompanhamentos. A função do programa é atuar na prevenção de doenças, promoção de saúde e realizar práticas educativas em saúde, para que eles tenham como maiores benefícios o acesso à saúde, informação, orientação e garantia dos seus direitos.
 A equipe do Consultório na Rua atua de forma itinerante, tendo como local de apoio a Unidade de Saúde Maria do Céu, localizada na rua Maruim, Centro. As atividades são trabalhadas com uma metodologia diferente para uma abordagem mais receptiva, onde a música se transforma em um instrumento de vinculação, com letras cantadas e produzidas pela própria equipe de atendimento. "No primeiro momento eles olham com um olhar de desconfiança, mas depois eles percebem que estamos ali para cuidar deles e acabam aceitando o atendimento", relatou a coordenadora.
Para o técnico de enfermagem, Allan Nascimento, que atua há três meses no programa, é uma experiência nova. "Sou o mais novo membro da equipe. É uma realização enorme, principalmente quando acompanhamos o tratamento e ele é realizado com sucesso, é uma grande satisfação ver a melhora deles", contou.