Cada um para o seu lado

Compartilhar:
Imprimir Aumentar Texto Diminuir Texto
Antes do início da procissão de Nosso Senhor dos Passos o pároco da Paróquia Nossa Senhora da Vitória fez um discurso contra juízes, por conta do auxílio moradia que recebiam mesmo tendo residência própria, e políticos pelo envolvimento em atos de corrupç
Antes do início da procissão de Nosso Senhor dos Passos o pároco da Paróquia Nossa Senhora da Vitória fez um discurso contra juízes, por conta do auxílio moradia que recebiam mesmo tendo residência própria, e políticos pelo envolvimento em atos de corrupç

Clique nas imagens para ampliar

Publicada em 27/02/2018 às 02:31:00

Na Homilia
Antes do início da procissão de Nosso Senhor dos Passos o pároco da Paróquia Nossa Senhora da Vitória fez um discurso contra juízes, por conta do auxílio moradia que recebiam mesmo tendo residência própria, e políticos pelo envolvimento em atos de corrupção. Falou de injustiça social, lembrando que Jesus Cristo foi condenado por pregar a Justiça. Fez um discurso duro, mas sem perder a elegância. O povo vibrou parecendo que estava em um estádio de futebol.

Cada um para o seu lado

A procissão de Nosso Senhor dos Pas-sos, em São Cristovão, no domingo passado, deixou bem claro que está bem longe de existir a unidade das oposições em Sergipe em torno das eleições 2018.
O senador Eduardo Amorim (PSDB), que caminha para ser o pré-candidato a governador da oposição, foi para o ato religioso acompanhado do deputado federal André Moura (PSC), que deve ser seu companheiro de chapa como pré-candidato ao Senado. Estavam com os dois, o ex-prefeito de São Cristovão, Isaias; o ex-deputado federal José Carlos Machado (PSDB); e o ex-deputado estadual Zeca da Silva (PSC).
Também na procissão, mais do outro lado do agrupamento político do PSC e PSDB, o senador Antônio Carlos Valadares (PSB), o deputado federal Valadares Filho (PSB) e o deputado estadual Luciano Pimentel (PSB).
Existe uma vontade de Eduardo Amorim ter como seu vice Valadares Filho. Ele, inclusive, aceita o senador Valadares disputar a reeleição na sua chapa junto com André.

O impasse é que nem André aceita ter Valadares como companheiro de chapa e nem Valadares concorda ter André disputando o Senado na mesma coligação. Cada um com seus motivos.
Por conta desse impasse, quando André ou Valadares teria que abrir mão de concorrer ao Senado para disputar a Câmara Federal, fica cada vez mais difícil a unidade da oposição em Sergipe.
Em razão disso, os dois agrupamentos vão partir para o Plano B, que é buscar novos aliados para a chapa majoritária. Ontem mesmo, a coluna recebeu a informação que o senador Eduardo conversou com duas lideranças do bloco do governador Jackson Barreto (MDB).

Segundo a fonte, logo no início da manhã Eduardo teria conversado com o ex-deputado federal Heleno Silva (PRB), que é chefe do escritório de representação de Sergipe em Brasília. O PRB quer uma vaga de Senador para Heleno. Em razão disso, não é difícil imaginar que a conversa, tendo mesmo acontecido, girou em torno dessa pauta.
Pela tarde, segundo a fonte, a conversa seria com o ex-prefeito Fábio Henrique, que é presidente estadual do PDT.  Pode-se deduzir que o diálogo, tendo ocorrido, foi em torno de Fábio, que é o atual secretário de Turismo, ser o candidato a vice de Eduardo.
Fábio Henrique tem declarado que é pré-candidato a deputado federal e a sua esposa, a deputada estadual Silvia Fontes, pré-candidata a reeleição. Tem falado que concorrerá as eleições deste ano no agrupamento de Jackson Barreto.

Já o PRB não demonstra firmeza se marchará no pleito no bloco governista, cujo pré-candidato a governador é Belivaldo Chagas (MDB). Tem sempre destacado que a prioridade é uma vaga de Senado na majoritária.
Com relação ao agrupamento político dos Valadares, o PSB ameaça sair com candidatura própria ao governo e buscar composição com outros partidos. O nome é o do próprio senador Valadares, apesar de Valadares Filho ter seu nome ser cogitado para o cargo.
A posição do grupo político de Valadares é decidir, entre março e abril, o caminho a seguir nas eleições deste ano. Já o agrupamento de André e Eduardo espera resolver nos próximos 15 dias, conforme foi declarado na reunião do PPS na sexta-feira passada.
Agora é aguardar o desenrolar dos acontecimentos ...

Também em
São Cristovão 1

Cinco prováveis pré-candidatos a governador estavam não procissão de Nosso Senhor dos Passos. Além dos senadores Eduardo Amorim (PSDB) e Antônio Carlos Valadares (PSB), o vice-governador Belivaldo Chagas (MDB), Mendonça Prado (DEM) e Emerson Ferreira (Rede).

Também em
São Cristovão 2

Belivaldo Chagas caminhou ao lado do prefeito Marcos Santana (MDB-São Cristovão), do vice-prefeito Adilson Júnior (PDT), dos deputados federais Fábio Reis (MDB) e João Daniel (PT), dos deputados Estaduais Francisco Gualberto (PT) e Silvia Fontes (PDT), dos secretários de Estado Fábio Henrique (Setur) e Zezinho Sobral (Seidh). Já Mendonça e Emerson com alguns partidários.

Não a privatização 1
Desde que passou o carnaval que o governador Jackson Barreto (MDB) intensificou agenda fora do Palácio, já visando sua saída do governo depois do dia 17 de março, quando se comemora o aniversário de Aracaju. Ontem mesmo, JB foi a Deso dizer aos seus servidores que não privatizará a empresa.  Na oportunidade, anunciou o fim do contrato com o BNDES dos estudos para privatização da Deso.

Não a privatização 2
Chegou a declarar o governador: "Muitas vezes, fui ao BNDES tratar a respeito dos recursos de obras de outros projetos e os gestores do banco me questionaram sobre a questão da Deso. Mas não vou deixar a marca de que privatizei a Deso, acabando com a minha história, que sempre foi de luta popular. Faz parte da minha história e do meu compromisso a defesa de uma empresa estatal que possa prestar um serviço de qualidade à população e, acima de tudo, assegurar os direitos dos trabalhadores da Deso, até porque foi nesse governo que fizemos concurso para a empresa. Contratamos quase 700 novos trabalhadores, então eu tomei a posição de manter o patrimônio do Estado, o patrimônio dos trabalhadores e o patrimônio da gente sergipana".

Focando as obras
Na semana passada Jackson foi a Itabaiana visitar as instalações do Hospital Regional do município, que recebeu investimento de R$ 6,5 milhões; visitou as obras das estradas que ligam Pirambú a Pacatuba, Japoatã a Propriá, e Nossa Senhora de Lourdes com o povoado Escurial, um investimento de R$ 62,4 milhões. JB também esteve no Santa Maria para assinatura de convênio com o prefeito Edvaldo Nogueira na ordem de R$ 5 milhões para serviços de pavimentação.

Ainda o Finisa
Nesta terça-feira o governador vai novamente a Brasília para saber sobre o andamento do Finisa, que se liberado vai permitir que o Estado pegue um financiamento de R$ 560 milhões junto à Caixa Econômica Federal para  recuperação de rodovias estaduais e obras de infraestrutura.

No comando de fato
Em comum acordo com Jackson, desde o final do ano passado que é Belivaldo Chagas quem vem cuidando diretamente das questões administrativas do Estado. Nenhuma medida é feita nos órgãos do Estado sem o seu conhecimento e aval. É Belivaldo, inclusive, que vem tratando das fusões de algumas secretarias.

Fusão de secretarias
Em conversa recente com a coluna, o vice-governador já antecipou que haverá a fusão da Secretaria de Esporte com a Secretaria de Educação e que ocorrerá também a fusão da Casa Civil com a Secretaria de Governo.  Ressaltou que está em estudo a viabilidade de fusão da Secretaria de Justiça com a de Segurança Pública, por conta de convênios federais. O projeto de fusão das secretarias será encaminhado para Assembleia Legislativa.

Dias contados?

É tido como certo que alguns secretários deixarão seus postos no governo de Belivaldo Chagas. Entre os que são especulados para deixar suas pastas são Benedito Figueiredo (Governo), João Augusto Gama (Cultura), Jorge Carvalho (Educação), Valmor Barbosa (Infraestrutura) e Antônio Hora (Esporte e Lazer), sendo este último por conta da fusão da sua secretaria.  Pode haver mudanças também na Secretaria da Fazenda, que tem no comando da pasta Josué Subrinho.

Esperar para ver
Chegou ao conhecimento da coluna que o presidente da Deso, Carlos Melo, pode substituir Valmor Barbosa na Infraestrutura. E que o novo secretário da Educação pode ser indicado pelo PSD do deputado federal Fábio Mitidieri, que vai perder a Secretaria de Esporte com a fusão da pasta.

Mudanças certas
Três secretários deixarão as suas pastas até 7 de abril, pela necessidade de se desincompatibilizar do cargo para concorrer a mandato eletivo. São eles: Fábio Henrique (Turismo), que vai disputar mandato de deputado federal; Zezinho Sobral (Inclusão Social) e Esmeraldo Leal (Agricultura), que vão concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa.

Rindo à toa
O prefeito Edvaldo Nogueira era só alegria ontem ao anunciar o pagamento dos salários de todos os servidores municipais, comissionados, aposentados e pensionistas para essa quarta-feira. E o pagamento aos comissionados desligados da gestão em 2014, 2015 e 2016 das indenizações. "Será pago mais de R$ 1 milhão em indenizações. O nome disso é respeito", frisou o prefeito.

Ficha Limpa
Tramita na Câmara dos Deputados proposta que prevê que o prazo de oito anos de inelegibilidade previsto na Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar 135/10) não valha para as condenações da Justiça Eleitoral anteriores à lei, de 2010. A medida está prevista no Projeto de Lei Complementar 431/17, apresentado pelo deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP).

Veja essa...
As pessoas que arrombaram a sede da Federação dos Municípios do Estado de Sergipe (FAMES) no domingo à noite levaram os produtos do roubo em uma carroça. Segundo o presidente da entidade, Marcos da Acauã, entre os produtos roubados: computadores, televisão, impressora, talão de cheque, sonorização, fogão, pratos, xicaras, copos, talheres e tapete.

Curtas
O vice-governador Belivaldo Chagas foi à Nossa Senhora das Dores no último sábado dá os parabéns ao aliado deputado federal Fábio Mitidieri (PSD), pela passagem do seu aniversário.

Em conversa ontem com a coluna, Heleno Silva negou que tivesse tido um encontro com o senador Eduardo Amorim. "Não estou nem em Sergipe", garantiu.

Fábio Henrique também negou que tivesse conversado com Eduardo Amorim ontem. Disse que esteve com ele há cerca de 3 a 4 meses. "Sou aliado do governador, meu candidato é Belivaldo. Como político não me nego a conversar com ninguém", afirmou.

Segundo o presidente estadual do PPS, Clóvis Silveira, que praticamente já fechou apoio com a oposição para o governo, a expectativa do partido é eleger um deputado federal e de três a quatro deputados estaduais no pleito deste ano.